“Homem morre de ataque cardíaco após receber vacina da Covid-19”. O título é o mesmo em várias peças jornalísticas publicadas em meios de comunicação social de diversos países e que têm sido partilhadas nas redes sociais. No entanto, são vários os utilizadores de Facebook que têm aproveitado a partilha desta informação com comentários adicionais que levam o leitor a acreditar que houve uma relação de causa e efeito entre a administração da vacina contra a Covid-19 e a morte deste homem de 75 anos.

“Vamos tomar vacina e comer pão com mortadela cambada de petralhas idiotas!!” ou “URGENTE — Homem morre de ataque cardíaco após receber a vacina contra Covid-19” são algumas das publicações que lançam esta notícia, gerando assim uma corrente de comentários de outros utilizadores que mostram receio em tomar a vacina e que desacreditam a sua eficácia. De sublinhar que “patralhas” é um nome inventado no Brasil pelo jornalista Reinaldo Azevedo para insultar qualquer filiado no Partido dos Trabalhadores (PT) — de esquerda –, indo assim ao encontro à posição do atual presidente brasileiro Jair Bolsonaro, que tem sido considerado um negacionista da pandemia e tem desvalorizado a importância das vacinas (embora tenha previsto adquiri-las).

No entanto, ao clicar na notícia elencada, encontram-se outras explicações. As notícias citam jornais israelitas que dão conta de um homem que morreu uma hora depois de lhe ser administrada uma dose da vacina desenvolvida pela farmacêutica Pfizer em parceria com BioNTech.

O The Times of Israel, por exemplo, conta que o Ministério da Saúde abriu um inquérito à morte de um homem de 75 anos que perdeu a vida após receber a vacina. O idoso tinha já problemas de saúde sérios. Eram 08h30 da manhã de segunda-feira (28 de dezembro) quando lhe foi dada a vacina em Beit She’an, no norte do país. O homem ainda esperou uma hora, como lhe foi recomendado, para ver se sentia alguma feito secundário, como nada aconteceu regressou a casa onde, pouco depois, ficou inconsciente — acabando por morrer na sequência de uma paragem cardiorespiratória.

Os resultados preliminares da investigação levada a cabo pelo governo israelita concluem, porém, que esta morte não teve relação com a vacina, até porque o homem sofria já de doenças cardíacas, tendo já registo clínico de ataques cardíacos. Tinha também um cancro. A própria família do homem já recusou publicamente a ligação entre a vacina e a morte pedindo a todos que não o façam.

A vacinação contra a Covid-19 em Israel começou a 20 de dezembro.

Conclusão

É verdade que um homem de 75 anos ficou inconsciente e acabou por morrer com uma paragem cardiorespiratória pouco mais de uma hora de ter recebido vacina contra a Covid-19. Mas as autoridades de saúde garantem, para já, que não existe relação entre a morte do homem e toma da vacina. É que o homem já sofria de problemas cardíacos e tinha mesmo sobrevivido a alguns ataques. Ao lançar a notícia com um comentário que dá a entender que as vacinas podem provocar a morte de quem as toma, a informação partilhada afasta-se da verdade, tornando-a enganadora.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ENGANADOR

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

PARCIALMENTE FALSO: as alegações dos conteúdos são uma mistura de factos precisos e imprecisos ou a principal alegação é enganadora ou está incompleta.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge