Uma fotografia que já foi partilhada dezenas de vezes mostra o Papa Francisco a beijar a mão de um homem enquanto várias outras pessoas assistem ao momento. Na legenda, em inglês, há referências a duas pessoas, David Rockefeller e John Rothchild. O primeiro era um conhecido banqueiro e filantropo americano, falecido em 2017, o segundo não é possível identificar. Rothchild é o apelido de uma família alemã com ligações à banca europeia, mas não é possível identificar nenhum John nos arquivos familiares disponíveis aqui.

O objetivo deste conteúdo é associar o Papa ao poder financeiro, o que é possível constatar lendo alguns comentários dos utilizadores a quem esta imagem chegou: “Esses são os patrões do Papa”, “Nunca pensei ver isto. Como é possível esta subserviência ao poder monetário? Escandaloso”, escrevem dois utilizadores.

Na data em que a fotografia foi tirada — maio de 2014 —, o banqueiro americano ainda não tinha morrido, mas este momento retrata um encontro do Papa Francisco com sobreviventes do holocausto durante a inauguração do Yad Vashem, um memorial às vítimas construído em Jerusalém. Uma foto muito semelhante, que pode ser vista em baixo, foi tirada por um fotojornalista da agência de fotografias Getty Images.

 Papa Francisco num encontro com sobreviventes do Holocausto, em 2014 @GETTY IMAGES

Na legenda desta imagem, o homem a quem o líder da igreja católica surge a beijar a mão está identificado como Eliezer Grynfeld, um dos sobreviventes aos ataques contra judeus levados a cabo pela Alemanha nazi durante a Segunda Guerra Mundial. “Papa Francisco aperta a mão ao sobrevivente do Holocausto Eliezer Grynfeld, durante a visita ao Memorial do Holocausto Yad Vashem, em Jerusalem”, descreve a legenda.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A visita do Papa também foi assinalada no site do memorial com uma fotografia em que várias das pessoas que a aparecem na imagem que está a circular no Facebook estão identificadas. Na lista, não é possível encontrar os nomes de David Rockefeller ou John Rothchild.

Relativamente a John Rothchild, ainda que não exista qualquer referência a um elemento da família Rothchild com esse nome pessoal, é público o trabalho de um jornalista e escritor dedicado a temas financeiros, que foi colunista de publicações como a revista Time, GQ and Outside e passou pela redação do Washington Monthly, como editor de política. Morreu em janeiro de 2020, aos 74 anos. Mas não tinha relação com a família de banqueiros.

Conclusão

Não é verdade que o Papa Francisco tenha beijado as mãos de dois homens ligados ao poder financeiro. A imagem partilhada dezenas de vezes no Facebook retrata o momento em que o líder da Igreja Católica beija a mão de um sobrevivente do holocausto durante a inauguração de um momorial às vítimas da Alemanha nazi durante a Segunda Guerra Mundial.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge