Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • Bom dia. Este liveblog vai ser arquivado, mas já abrimos um novo para seguir as notícias relativas à pandemia da Covid-19 ao longo desta quinta-feira. Pode segui-lo aqui.

    Governo reúne-se hoje em Conselho de Ministros decisivo para evolução da pandemia em agoto

  • PRO.VAR quer fim dos autotestes e unidades de saúde à porta dos restaurantes

    Associação Nacional de Restaurantes pediu hoje, no Porto, ao Governo a eliminação imediata dos autotestes à Covid-19 e quer unidades fixas e móveis de saúde à porta dos restaurantes a fazer testes PCR.

    Em conferência de imprensa, a PRO.VAR explicou que a sugestão ao executivo liderado por António Costa passa pela colaboração das câmaras municipais e a Direção-Geral da Saúde “para a colocação de unidades fixas e móveis de saúde à porta dos restaurantes para a implementação de testes PCR”.

    No mesmo momento, a associação quer também a reposição do direito dos restaurantes de estarem abertos de segunda a sexta-feira até à meia-noite e o aumento da fiscalização a festas ilegais e ajuntamentos.

  • Estudantes açorianos deslocados devem inscrever-se para vacinação nas férias

    O Governo Regional dos Açores esclareceu hoje que os estudantes do Ensino Superior residentes na região que estudam fora devem inscrever-se no portal ‘online’ de vacinação contra a Covid-19 para serem inoculados durante as férias de verão.

    Em nota de imprensa, a Direção Regional da Saúde explica que os estudantes açorianos que mantêm a sua residência na região mas frequentam estabelecimentos de ensino fora dela podem ser vacinados contra a Covid-19 nos Açores durante as férias de verão, mas têm de se inscrever.

    Para tal, devem preencher o formulário de inscrição no Portal da Vacinação regional e “anexar o comprovativo de matrícula referente ao ano letivo 2020/2021, ou 2021/2022, se este último já estiver disponível” no campo onde é possível apresentar “Declaração Médica”.

    “No caso dos estudantes que se candidatam pela primeira vez a estabelecimento de ensino fora da Região, o procedimento é idêntico, no entanto deverão anexar o comprovativo de candidatura a estabelecimento de ensino fora da Região”, explica a nota de imprensa.

    A Direção Regional da Saúde adianta ainda que “este procedimento é válido para todos os estudantes residentes na Região Autónoma dos Açores, para qualquer nível de ensino, para qualquer fase de candidatura e em todas as modalidades de acesso ao ensino superior”.

  • Madeira começou processo de vacinação dos desportistas

    A vacinação contra a Covid-19 na área do desporto na Madeira começou a ser efetuada aos atletas profissionais e vai abranger participantes nas competições regionais, disse hoje o secretário regional da Educação e Desporto.

    “Este é um primeiro momento da vacinação que se pretende implementar na área do desporto, começando pelas modalidades profissionais, que são aquelas que entrarão em competição dentro em breve”, afirmou Jorge Carvalho, durante uma visita ao Centro de Vacinação do Funchal.

    Entre os atletas inoculados estavam os desportistas do Clube Desportivo Nacional, refere a nota divulgada pela secretaria da Saúde e Proteção Civil.

  • Governo francês prepara novas medidas de combate à pandemia, população contesta

    As novas medidas introduzidas pelo governo francês passam pela obrigação da vacina, de isolamento de 10 dias para casos positivos e passe sanitário a partir de agosto.

    Governo francês prepara novas medidas de combate à pandemia, população contesta

  • Infarmed investiga casos de "reações adversas" à vacina Janssen em Mafra

    O Infarmed está a investigar casos de “reações adversas” à vacina Janssen, da Johnson & Johnson, notificados no centro de vacinação de Mafra e suspendeu os medicamentos do mesmo lote.

    Em comunicado, o regulador português refere que “não foram reportados, até à presente data, suspeitas de defeito de qualidade deste lote noutros centros de vacinação em que o mesmo está a ser utilizado”.

  • Brasil completa três semanas com casos e mortes em queda

    O número de casos e mortes por Covid-19 está em queda há três semanas no Brasil, embora ainda permaneça em níveis elevados, informou hoje a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), centro de investigação médica de referência no país.

    Os dados do relatório da Fiocruz mostram ainda que, pela primeira vez desde dezembro de 2020, quando começou a formar-se a segunda vaga da pandemia, nenhum dos 27 estados brasileiros apresenta uma taxa de ocupação de camas de terapia intensiva (UTI) superior a 90% no sistema público de saúde.

    A Fiocruz informou que a tendência de queda nos indicadores de incidência e mortalidade manteve-se entre os dias 4 e 10 de julho, pela terceira semana consecutiva, o que indica uma desaceleração da pandemia, que coincide com a evolução da campanha de vacinação.

    Nesse contexto, o número de casos e óbitos diminuiu nos últimos 21 dias em cerca de 2% ao dia, “mas ainda permanece num nível alto”, alertou a entidade vinculada ao Ministério da Saúde. De facto, a taxa de letalidade a doença continua em 2,8%, percentagem “considerada elevada”.

  • Discotecas saúdam apoios "tardios", mas insistem na reabertura

    A Associação Nacional de Discotecas afirma que os apoios do Governo “são tardios, ainda que bem-vindos” e insistem ainda para a reabertura após 16 meses de encerramento devido à Covid-19.

    Discotecas saúdam apoios “tardios”, mas insistem na reabertura

  • Cabo Verde com mais duas mortes e 74 novos infetados

    Cabo Verde registou mais duas mortes provocadas pela Covid-19, elevando para 292 o total de óbitos associados à doença no país, que nas últimas 24 horas contabilizou 74 novos infetados, anunciaram hoje as autoridades de saúde.

    O Ministério da Saúde informou em comunicado que do total de 1.281 resultados recebidos dos laboratórios de virologia, somam-se 74 novos casos positivos de infeção pelo novo coronavírus, numa taxa de positividade de 5,8%.

    A ilha de Santiago diagnosticou a maioria dos novos infetados (34), sendo 27 na Praia, cinco em Santa Catarina, e um cada em São Domingos e Tarrafal, enquanto o Fogo tem mais 24, distribuídos por São Filipe (20) e dois cada em Mosteiros e Santa Catarina.

    Os restantes casos foram registados no Maio (dois), Boa Vista (um), Sal (um), São Vicente (cinco) e Santo Antão com sete, sendo cinco no Porto Novo e um cada no Paul e na Ribeira Grande.

    Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde contabilizaram mais duas mortes provocadas pela Covid-19, ocorridos nos concelhos de São Filipe do Fogo e Ribeira Grande de Santo Antão, e aumentou para 292 o acumulado de óbitos no país desde o início da pandemia.

  • Angola com cinco mortes, 189 novos casos e 84 recuperações em 24 horas

    Angola registou 189 novos casos de Covid-19 em 24 horas, assim como cinco mortes e 84 recuperações da doença, anunciaram hoje as autoridades para a saúde pública.

    Dos novos casos, 76 foram registados na província do Cunene, 55 na Lunda Norte, 27 em Luanda, sete em Benguela, sete no Moxico, seis no Huambo, quatro na Huíla, dois em Cabinda, dois na Lunda Sul e um cada em Bié, Malanje e Zaire, com idades entre os 5 meses e 84 anos, sendo 103 do sexo masculino e 86 do sexo feminino, afirmou o secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, numa declaração.

    De acordo com as autoridades de saúde angolanas foram registadas cinco mortes, das quais três no Cuanza Sul, uma no Huambo e uma em Malanje, tendo as vítimas idades entre 2 meses e 60 anos e sendo três do sexo masculino e duas do sexo feminino.

    Foram consideradas recuperadas da doença 84 pessoas, das quais 66 em Luanda, 16 no Huambo, uma na Huíla e uma no Zaire, entre os 4 meses e os 83 anos.

    Angola passa agora a somar 40.327 casos desde o início da pandemia, incluindo 946 óbitos e 34.584 recuperados da doença, estando ainda ativos 4.797 casos.

  • Cabo Verde prorroga por mais 15 dias situação de calamidade

    O governo cabo-verdiano prorrogou hoje por mais 15 dias a situação de calamidade em todas as ilhas, devido à Covid-19, embora reconhecendo a “tendência positiva” na evolução da situação epidemiológica no arquipélago.

    A resolução do Conselho de Ministros, publicada hoje, justifica a decisão “ciente da importância de manter o nível de prudência neste momento particular do processo de retoma das atividades económicas e sociais, e com o intuito de elevar Cabo Verde a um patamar mais sustentado de segurança sanitária (…), visando a contínua minimização dos riscos de transmissão da infeção”.

  • Madeira regista 23 novos casos

    A Madeira registou hoje 23 novos casos de Covid-19, anunciou a Direção Regional da Saúde (DRS), referindo que a região contabiliza agora um total de 138 casos ativos.

    Entre os novos positivos, há a registar seis casos importados — dois da Dinamarca, dois da República Checa, um da região Norte e um da região de Lisboa e Vale do Tejo. Os restantes 17 são de transmissão local, “na sua maioria já associados a contactos de casos positivos”.

    A Região Autónoma da Madeira contabilizou cinco recuperações nas últimas 24 horas, elevando para 9.616 o número de casos recuperados. O arquipélago assinala também 73 mortos associados à doença.

    Relativamente ao isolamento dos casos ativos, a DRS indica que cinco pessoas se encontram hospitalizadas no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, duas delas na Unidade de Cuidados Intensivos dedicada à Covid-19.

  • Espanha tem mais 26.390 casos e incidência sobe para 469

    Espanha teve 26.390 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, levando a incidência acumulada (infeções) a subir para 469 casos por 100.000 habitantes nas últimas duas semanas, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde.

    Os últimos contágios levam para 4.041.474 o número total de infetados desde o início da pandemia.

    Os serviços sanitários notificaram também mais 10 mortes atribuídas à pandemia desde terça-feira, havendo agora um total de 81.043 óbitos desde o início da pandemia.

    O nível de contágios teve uma subida de 32 unidades, tendo a incidência acumulada passado dos 437 (terça-feira) para 469 casos (hoje) diagnosticados por cada 100.000 habitantes nas últimas duas semanas.

  • Guiné-Bissau regista oito novos casos

    A Guiné-Bissau registou mais oito novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo dados hoje divulgados pelo Alto Comissariado para a Covid-19.

    Segundo os dados, ontem, foram registados mais oito novos casos para um total acumulado de 3.969 e realizados 260 testes.

    Mais 11 pessoas foram dadas como recuperadas da doença para um total acumulado de 3.651 e há 242 casos ativos no país.

    O número de vítimas mortais registadas desde o início da pandemia é de 70.

    Segundo o boletim diário, 11 pessoas estão internadas devido à doença.

  • Reino Unido volta a registar um aumento de novos casos e óbitos

    Nas últimas 24 horas, o Reino Unido registou 42.302 novos casos, mais 4.587 casos do que na semana passada.

    Relativamente aos óbitos, o país registou igualmente um aumento significativo. Sendo que hoje foram registados 49 óbitos e na passada quarta-feira, 23.
    De acordo com os dados disponibilizados, Reino Unido vacinou no total de 46 milhões de pessoas, sendo que 35 milhões já possuem a vacinação completa.

    Desde o início da pandemia, Reino Unido já registou no total de 5.233.207 infeções por Covid-19 e 152.856 óbitos relacionados com complicações desta infeção.

  • Matriz de risco. Mudanças só serão ponderadas depois da reunião do Infarmed, diz Governo

    Antes de dia 27, data da próxima reunião com especialistas no Infarmed para analisar a evolução da pandemia, não há qualquer hipótese de o Governo mexer na atual matriz de risco. Esta quarta-feira, a Ordem dos Médicos apresentou um modelo alternativo ao atual, já que considera que a matriz em uso está ultrapassada.

    Questionado pelo Observador sobre uma eventual mudança na matriz, o Ministério da Saúde diz acompanhar diariamente, divulgando com regularidade, os vários indicadores que a Ordem dos Médicos sugere que sejam integrados na matriz de risco: “Estes indicadores têm, de resto, sido tomados sempre em consideração nos processos de decisão.”

    A nota do gabinete de Marta Temido refere-se à transmissibilidade do vírus, à taxa de incidência, aos óbitos e aos internamentos (enfermarias e cuidados intensivos).

    “O ministério recorda o consenso técnico existente sobre esta matéria e que foi reafirmado na última reunião do Infarmed, realizada em maio, em que os especialistas defenderam a manutenção da matriz de risco definida em março”, lê-se na resposta enviada ao Observador.

    Assim, e tendo o Governo convocado nova reunião para dia 27, “apenas nesse contexto, e nunca antes da referida reunião, que qualquer eventual alteração pode ser ponderada”.

  • ECDC e EMA defendem mistura de vacinas se isso acelerar a campanha de vacinação

    O Centro Europeu para a Prevenção e Controlo da Doença (ECDC) e a Agência Europeia do Medicamento (EMA) incentivam os países europeus a adaptarem as estratégias de vacinação, de acordo com a situação da pandemia, nomeadamente reduzindo o intervalo entre duas doses ou usando doses diferentes, se necessário — uma medida que foi desaconselhada pela Organização Mundial de Saúde.

    “Uma estratégia de vacinação heteróloga, em que uma vacina diferente é dada como segunda dose, tem sido aplicada para algumas outras vacinas, em termos históricos”, refere o comunicado conjunto. “Existem bons fundamentos científicos para esperar que esta estratégia seja segura e eficaz quando aplicada à vacinação contra Covid-19.”

    O uso de uma estratégia de vacinação heteróloga pode permitir que as populações sejam protegidas mais rapidamente e fazer melhor uso dos stocks de vacinas disponíveis”, dizem os organismos europeus.

    O ECDC e a EMA recomendam ainda que as pessoas completem o esquema vacinal (com duas doses quando for caso disso), porque “as duas doses são necessárias para uma proteção adequada contra a variante Delta”. E reforçam a necessidade de ter os mais velhos completamente vacinados.

    Há ainda 10 países da União Europeia e Espaço Económico Europeu onde 30% ou mais dos idosos com mais de 80 anos ainda não completaram o esquema vacina”, alertam os organismos europeus.

    As duas organizações pedem também que os países aumentem a taxa de vacinação entre os profissionais de saúde e os trabalhadores de lares e instituições similares, para proteção dos próprios, das famílias e dos doentes/utentes.

    Quanto à terceira dose de reforço, o ECDC e a EMA dizem que “ainda é muito cedo para confirmar se e quando uma dose de reforço da vacina contra a Covid-19 será necessária”, mas asseguram que estão a trabalhar em conjunto para analisar os dados que forem saindo em relação a esse tópico.

  • Vacinação de utentes sem marcação para maiores de 40 anos já está disponível

    As pessoas com 40 ou mais anos e sem marcação para a vacina contra a Covid-19 já podem dirigir-se ao centro de vacinação associado ao respetivo centro de saúde para receberem a primeira dose, anunciou hoje a task force.

    “A modalidade ‘casa aberta’ já se encontra disponível para a vacinação de primeiras doses de utentes que não estejam agendados, com idade igual ou superior a 40 anos e que não tenham sido infetados com covid-19 nos últimos seis meses”, revelou em comunicado a estrutura responsável pelo processo da vacinação.

  • Itália: aumento de novos casos e mortes

    Itália registou, nas últimas 24 horas, 2.153 novos casos, um aumento significativo comparado aos 1.010 casos registados na semana passada. Da mesma forma, Itália registou um aumento de 9 óbitos desde a passada quarta-feira.

    De acordo com os dados divulgados, existem mais de 41 mil casos ativos no país, número semelhante ao que se registou na passada semana.

    Itália desde o início da pandemia já contou com 4.275.846 casos positivos e 127.831 óbitos resultantes da infeção de Covid-19.

  • Número de casos ativos sobe. Há 2.235 novos recuperados

    Ao contrário do que tinha acontecido ontem, com o disparar do número de novos casos, que fica assim acima dos casos recuperados, o número de casos ativos subiu.

    Há assim 2.235 novas recuperações (852 269 no total) e mais 1.909 casos ativos (47.108).

    As autoridades de Saúde estão agora a vigiar 77.682 casos, mais 1.322 do que ontem.

1 de 3