Momentos-chave
Histórico de atualizações
  • A cobertura do Observador para esta sexta-feira fica por aqui. Pode acompanhar todas as notícias deste sábado relacionadas com a pandemia de Covid-19 no novo liveblog.

    Membros das mesas de voto vacinados este sábado

  • Angola em risco de perder até março cinco milhões de vacinas contra a Covid-19

    O país encontra-se num momento crítico na vacinação, porque algumas doses começam a aproximar-se do fim do prazo de validade, que termina em março.

    Angola em risco de perder até março cinco milhões de vacinas contra a Covid-19

  • Países Baixos reabrem comércio e mantêm fechadas hotelaria e cultura

    Os Países Baixos anunciaram o alívio do encerramento das atividades não-essenciais com os cabeleireiros e as esteticistas a reabrir. Os bares, as cafetarias e os restaurantes permanecem fechados.

    Países Baixos reabrem comércio e mantêm fechadas hotelaria e cultura

  • Polícia italiana opõe-se à utilização de máscaras cor-de-rosa em serviço

    A polícia italiana protestou esta sexta-feira junto ao Ministério do Interior depois de ter recebido lotes de máscaras de proteção cor-de-rosa.

    Muitos dos agentes recusam-se a utilizar as máscaras, uma vez que consideram que a cor “excêntrica” não é consistente com o uniforme da polícia, avança o jornal The Guardian.

    O chefe de um sindicato da polícia, Stefano Paolini, escreveu uma carta ao chefe da polícia do Ministério do Interior italiano, Lamberto Giannini, onde se queixa que a compra das máscaras cor-de-rosa é “intrigante”.

    Os agentes defendem que depois de quase dois anos em pandemia deveria ser mais fácil comprar máscaras “apropriadas”.

    A polícia italiana garante que as máscaras que querem utilizar têm de ser pretas, brancas ou azuis. O Ministério do Interior ainda não reagiu à indignação dos agentes.

  • Presidente do Governo dos Açores diz que região é “um bom exemplo”

    O presidente do Governo dos Açores considerou hoje que a região é “um bom exemplo” no combate da situação pandémica de Covid-19 nas suas diversas vertentes, estando “mais controlada” do que outras regiões do país.

    “Felizmente, nos Açores, quer no que diz respeito ao controlo epidemiológico, numa primeira fase, fomos sempre muito mais contidos e controladores, também com o bom comportamento dos cidadãos e das pessoas em geral”, afirmou José Manuel Boleiro.

    O líder do executivo açoriano falava no final de audiência concedida hoje, em Ponta Delgada, ao Chefe de Estados Maior da Armada, almirante Gouveia e Melo, tendo destacado o “excelente resultado da vacinação”.

  • Cidade vizinha de Macau deteta sete casos da variante Ómicron

    Zhuhai, que faz fronteira com Macau, diagnosticou hoje sete casos de transmissão local de Covid-19 e tornou-se a segunda cidade da China continental a detetar a variante altamente contagiosa Ómicron.

    Zhuhai cancelou todos os voos para Pequim, e várias cidades próximas suspenderam ligações rodoviárias, ferroviárias e marítimas com a cidade fronteiriça.

    Macau anunciou também a suspensão da ligação marítima entre o porto interior da região semiautónoma chinesa e o porto de Wanzai, em Zhuhai.

    Os casos foram diagnosticados após testes de ácido nucleico em larga escala terem sido realizados em várias comunidades de Zhuhai.

  • Variante Ómicron é dominante em Portugal: a 10 de janeiro, representava 93,2% dos casos

    Desde 6 de dezembro que se tem verificado um “aumento muito acentuado” da circulação da variante em Portugal, sendo já “dominante” com uma proporção “de casos estimada de 93,2% no dia 10 de janeiro de 2022”.

  • Taxa de positividade dispara para os 14% e testagem diminui ligeiramente

    A taxa de positividade aumentou face à semana passada, estando já nos 14% (há sete dias era de 10,6%). É, naturalmente, um valor que se encontra muito acima do limiar dos 4%, estando ainda com uma “tendência crescente”.

    No número de testes realizados, e findo o período de festas, reportou-se uma ligeira diminuição. Na semana passada foram realizados 1,68 milhões de testes, enquanto há duas semanas tinham-se feito 1,71 milhões de despistes.

  • R(t) desce em todas as regiões

    O índice de transmissibilidade — R(t) — baixou em todas as regiões de Portugal continental. Lisboa e Vale do Tejo é, neste momento, aquela com um menor R(t), 1,15, enquanto o Norte é que tem o maior (1,23).

    Ainda assim, uma vez que se encontra acima de 1, é expectável “uma tendência crescente da incidência de infeção”.

  • Internados em unidades de cuidados intensivos com "tendência estável"

    Neste momento, em Portugal, estão ocupadas 64% do valor crítico de camas nas unidades de cuidados intensivos (UCI), uma subida percentual de dois pontos percentuais face à semana passada, mas que, mesmo assim, apresenta uma “tendência estável”.

  • Pandemia com "intensidade muito elevada" e com "impacto elevado na mortalidade"

    A atividade pandémica apresenta uma “intensidade muito elevada” em Portugal e ainda continua com “tendência crescente”. O impacto nos serviços de saúde e na mortalidade também já são “elevados”.

    No que diz respeito à mortalidade, o relatório sublinha que “apresenta uma provável inversão da tendência estável anteriormente observada”, tendo a pandemia já “um impacto elevado na mortalidade”.

    A 12 de janeiro, a mortalidade específica por Covid-19 encontrava-se nos 25,5 óbitos em 14 dias por um milhão de habitantes, “o que corresponde a um aumento de 25% relativamente ao último relatório”.

    “Este valor é superior ao limiar de 20 óbitos definido pelo Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC), indicando um impacto elevado da epidemia na mortalidade”, lê-se.

  • Vacinados com risco de hospitalização duas a cinco vezes inferior comparado com não vacinados

    Os vacinados contra a Covid-19 apresentam um risco de hospitalização “aproximadamente duas a cinco vezes inferior aos casos não vacinados”.

    “Para os casos diagnosticados no mês de novembro, com idade igual ou superior a 80 anos, por cada 100 casos sem esquema vacinal completo, cerca de 19 casos foram internados. Por cada 100 casos com esquema vacinal completo, cerca de 8 casos foram internados. Ou seja, o risco de internamento neste grupo etário para os casos com um esquema vacinal completo foi menos de metade relativamente aos casos sem um esquema vacinal completo”, indica o relatório.

    “O risco de internamento para quem tem dose de reforço é metade do risco de internamento de quem tem vacinação completa”, conclui o documento.

  • 32 das mortes em dezembro ocorreram em pessoas com dose de reforço

    Segundo o relatório, em dezembro de 2021, ocorreram 171 mortes (46%) em pessoas com esquema vacinal completo, 168 óbitos (45%) em pessoas não vacinadas ou com vacinação incompleta e 32 mortes (9%) naqueles que tomaram a dose de reforço.

    “Para os casos diagnosticados no mês de dezembro, com idade igual ou superior a 80 anos, por cada 100 casos sem esquema vacinal completo, cerca de 20 casos morreram”, revela o relatório, sendo que “por cada 100 casos com esquema vacinal completo, cerca de sete casos morreram. E por cada 100 casos com esquema vacinal completo e a dose de reforço, cerca de um caso morreu”.

  • Não vacinados com risco de morte três a seis vezes maior do que vacinados

    As pessoas não vacinadas apresentam um risco de morte três a seis vezes maior do que as pessoas que completaram o esquema vacinal, indica o relatório das Linhas Vermelhas publicado hoje pelo Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge (INSA) e a Direção-Geral da Saúde.

    “As pessoas com um esquema vacinal completo têm ainda um risco de internamento duas a cinco vezes menor do que os não vacinadas, entre o total de pessoas infetadas em novembro”, lê-se ainda no relatório.

  • Angola reduz para sete dias quarentena domiciliar a viajantes com teste negativo à chegada

    O Governo angolano reduziu o tempo de quarentena domiciliar de 10 para sete dias a todos os cidadãos provenientes do exterior que apresentem teste negativo ao novo coronavírus após desembarque.

    A medida consta do decreto presidencial sobre o estado de calamidade pública, hoje atualizado pelas autoridades angolanas.

    De acordo com o coordenador da Comissão Interministerial de Combate e Prevenção contra a Covid-19, Francisco Furtado, fica isento da quarentena domiciliar o cidadão que tenha imunização completa e teste negativo ao SARS-CoV-1 após desembarque.

  • Espanha supera oito milhões de casos positivos desde o início da pandemia

    A Espanha superou oito milhões de pessoas infetadas com a Covid-19 desde o início da pandemia, depois de hoje terem sido notificados 162.508 novos casos, que fizeram a incidência subir para 3.192 por 100.000 habitantes.

    A atualização diária feita pelo Ministério da Saúde espanhol indica que o total de casos desde o início da pandemia, há quase dois anos, é agora de 8.093.036.

    O número de mortos associados à doença Covid-19 foi de 139 pessoas nas últimas 24 horas e já morreram 90.759 pessoas devido à doença.

    A velocidade a que ocorrem os contágios teve um crescimento de 36 pontos nas últimas 24 horas, passando a incidência acumulada de 3.156,6 casos para 3.192,5 (hoje) por cada 100.000 habitantes diagnosticados nos últimos 14 dias.

  • 24 mil alunos, trabalhadores e professores em isolamento profilático no 1º período, diz o Ministério da Educação

    O Ministério da Educação (ME) afirma numa nota enviada às redações que, no 1º período letivo, houve menos de um terço de alunos e trabalhadores em isolamento profilático. De acordo com ME, “considerando o universo acima apontado, no final do 1.º período letivo cerca de 24 mil alunos, docentes e não docentes estavam em isolamento profilático, em comparação com os 87 mil alunos e trabalhadores registados em 2020”.

    “Destaque para os mais de sete mil casos (0,5% da comunidade escolar) registados entre os dias 14 de setembro e 17 de dezembro de 2021, o que representa uma quebra para metade face a igual período de 2020 (com cerca de 16 mil casos identificados), num universo de cerca de 1,3 milhões de pessoas que todos os dias estudam ou trabalham nas escolas públicas“, refere também o ME.

    De acordo com o Ministério, “menos de 500 turmas estavam em isolamento, ao passo que no mesmo período do ano anterior, mais de 700 turmas estavam em isolamento”. “Durante o 1.º período do presente ano letivo, num total de cerca de 5400 estabelecimentos de educação e ensino, apenas em 2000 houve registo de algum caso positivo”, adianta a tutela, referindo também que “no mesmo período do ano letivo anterior, houve registo de casos positivos em cerca de 2800”.

    Segundo o ME, estes números foram possíveis graças aos “excelentes resultados alcançados por Portugal na vacinação, tendo os profissionais docentes e não docentes sido um bom exemplo dessa adesão à vacina (taxa de vacinação de 99% na primeira fase, conforme indicação das autoridades de saúde)”.
    “Também a vacinação dos jovens corre a bom ritmo, com resultados muito significativos alcançados até ao momento”, é ainda referido.

  • Gouveia e Melo ordena vacinação dos operacionais da Marinha

    O Chefe do Estado-Maior da Armada acredita que com a vacinação contra a Covid-19 será possível diminuir a “incidência, gravidade e transmissão da doença” e evitar quebras nas missões.

    Gouveia e Melo ordena vacinação dos operacionais da Marinha

  • EMA alerta para novo efeito secundário em vacinas da AstraZeneca e da Janssen

    A Agência Europeia do Medicamento (EMA, sigla em inglês) alertou hoje para um novo efeito secundário raro após a toma da vacina da Janssen e da AstraZeneca: a mielite transversa, uma inflamação da medula espinhal.

    De acordo com uma nota publicada no site, existe uma “relação causal entre as duas vacinas e a mielite transversa”, algo que é caracterizado como uma “possibilidade razoável”.

    Ainda assim, a EMA sublinha que os benefícios destas duas vacinas continuam a ser maiores do que os riscos: “A avaliação dos riscos e benefícios de ambas as vacinas mantém-se inalterada”.

    “Os profissionais de saúde devem estar alerta aos sinais e sintomas da mielite transversa, permitindo um diagnóstico precoce, apoio e tratamento”, informa a EMA, que acrescenta que as pessoas que recebam estas vacinas e comecem a desenvolver sintomas devem “procurar atenção médica imediata”.

    Segundo explica a EMA, a mielite transversa é uma condição neurológica rara, que pode causar fraqueza nos braços ou pernas e pode causar formigueiro, dormência e perda da sensação de dor. Pode ainda afetar a bexiga e o intestino

  • PS/Faial defende alargamento da testagem massiva de alunos nos Açores

    O Secretariado do Faial do PS defendeu hoje o alargamento àquela ilha da testagem massiva de despiste à Covid-19 aos alunos, em curso em São Miguel e na Terceira.

    “Tendo em conta que se verifica um número considerável de casos em sede de contexto escolar com várias turmas, de diversos níveis de ensino, em isolamento profilático, mesmo daqueles que têm o processo de vacinação completa, a testagem dos alunos do Faial é premente e justificada”, defende o PS do Faial, em comunicado.

    Para o PS/Faial, “a decisão do Governo Regional [PSD/CDS-PP/PPM] de testar em massa os alunos do 1.º e 2.º ciclos das ilhas de S. Miguel e Terceira, considerando que estas são as únicas onde existe transmissão comunitária de Covid-19, não se justifica uma vez que se verifica o contínuo aumento de casos em todas as ilhas, destacando-se, de forma preocupante, os números da ilha do Faial, quer em termos de casos ativos, quer de números de internamentos”.

1 de 3