Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma vantagem competitiva que nós, portugueses, não temos? Saber comunicar. Teremos outras, certamente, mas esta é gritante e altamente limitante. Não nos faltam cabeças científicas, crânios inovadores, extraordinários pensadores e fabulosos fazedores em quase todas as áreas do conhecimento, mas faltam-nos comunicadores.

Em Portugal não se aprende a comunicar desde cedo. Ao contrário das escolas americana, alemã, inglesa, francesa e espanhola, para dar o exemplo das escolas internacionais onde as crianças começam aos 4 anos a treinar o improviso, a expor ideias, a debater opostos e a fazer apresentações, em Portugal essa aprendizagem chega quase sempre muito mais tarde.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.