Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Passou uma semana desde que o juiz Ivo Rosa leu ao país a sua decisão sobre a Operação Marquês. Pode-se dizer duas coisas. Primeiro, que o país que fala e comenta não gostou da decisão do juiz. Segundo, que a maioria do país que fala e comenta continua sem perceber – ou sem querer perceber — o que está em causa.

O primeiro erro é a tese, suscitada pela prestação do juiz Ivo Rosa, de que o problema está na justiça. Sim, talvez seja difícil acusar, julgar e condenar corruptos em Portugal. Mas as leis que criam essas dificuldades ou que permitem a alguns juízes inventar essas dificuldades não foram feitas pelos tribunais. O juiz Ivo Rosa é uma consequência, não é a causa. Não se esqueçam dos legisladores, isto é, dos políticos que neste regime governam, governaram e querem governar. Não, a culpa não é principalmente do juiz.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.