União Europeia

Governo reabre candidatura para Agência Europeia do Medicamento

364

Depois de uma votação em unanimidade por parte da Assembleia da República para Lisboa ser candidata a ter a Agência Europeia do Medicamento, o Governo recua e abre o concurso ao Porto.

DANIEL LEAL-OLIVAS/AFP/Getty Images

Afinal, não está fechado o processo de seleção da cidade que fará parte da candidatura nacional para ser a próxima sede da Agência Europeia do Medicamento. Depois de uma votação por unanimidade na Assembleia da República ter escolhido Lisboa, o Governo vai agora reabrir o processo para incluir o Porto no lote de cidades a serem consideradas.

A informação foi avançada pela Lusa, que cita uma nota do Ministério da Saúde onde se pode ler que, além de Lisboa, o Porto “parece reunir condições para uma candidatura muito exigente e competitiva em termos europeus”.

O vereador socialista e candidato à Câmara Municipal do Porto, Manuel Pizarro, convocou uma conferência de imprensa para pouco tempo depois da publicação da posição do Ministério da Saúde, que dava conta do recuo do Governo. “Esta decisão prova que, como eu e o PS Porto acreditámos, valia a pena fazer ouvir os nossos argumentos e que os nossos argumentos poderiam fazer com que o Governo recuasse na decisão anterior e considerasse a candidatura da cidade do Porto”, disse, na tarde deste sábado.

“Nós no Porto estamos muito habituados a ter de fazer um esforço adicional para que as nossas razões façam vitória”, disse, dando eco às acusações de centralismo que o Governo e também a Assembleia da República mereceram ao longo deste caso.

O vereador socialista disse ainda que “vale mais propor e lutar do que limitarmo-nos a protestar”, ideia que repetiu mais do que uma vez.

A Agência Europeia do Medicamento, atualmente sediada em Londres, vai obrigatoriamente mudar de morada, já que o Reino Unido já iniciou o processo de saída da União Europeia. O prazo de entrega para as candidaturas é 31 de julho.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jadias@observador.pt
Brexit

Quem disse que sair da Europa era fácil?

Diana Soller

Esperemos que o executivo britânico se reorganize depressa. Ainda que o divórcio tenha tido até agora pouco de litigioso, uma das partes põe paus na engrenagem. E nas separações todo o cuidado é pouco

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site