Autores › João de Almeida Dias

Jornalista
jadias@observador.pt

Sou jornalista desde 2012. Antes de vir para o Observador, escrevi para o Público, Expresso, The Guardian e New Statesman. Além disso, trabalhei como jornalista para o filme "As Mil e Uma Noites" (2015). Escrevo sobre internacional, sociedade e Direitos Humanos. Fiz reportagem em Espanha, França, Itália, Hungria, Sérvia, Grécia, Turquia, Líbano, Bielorrússia, EUA e em várias partes do país. Em 2015, venci o Prémio de Jornalismo “Direitos Humanos & Integração” da UNESCO pelo trabalho "Enquanto resistem, não esperam surpresas", sobre a oposição na Bielorrússia. Nasci em Évora, facto que tomo como um privilégio.

Artigos publicados

Comentários Publicados

  • Sexta-feira, Março 18, 2016“Temos milhões!”, gaba-se Trump. Isso chegará para ganhar em novembro?Em resposta a Rafael Louro

    Caro Rafael Louro, veja se está interessado nalguns dos links que deixo abaixo, em resposta aos pontos que levanta no seu comentário. Cordialmente, espero que o ajudem a confiar um pouco mais na imprensa. - Segundo as sondagens à boca da urna, de facto a distribuição de votos entre Rubio e Trump foi renhida na Florida. É isso que indica a FOX (http://latino.foxnews.com/latino/politics/2016/03/15/marco-rubio-is-winning-big-in-floridaat-least-among-latinos/), que coloca Rubio com 40% e Trump com 38% dos votos neste setor demográfico. Mas há outros números que devem ser considerados para entender que, enquanto resultado global, isto é estatisticamente pouco relevante, como demonstro no ponto seguinte; - Segundo números de 2012 (consultar o figure 4 em http://www.sayfiereview.com/page/Who%20and%20Where%20are%20Floridas%20Democrats%20and%20Republicans), havia apenas 11% de latinos entre os eleitores registados no Partido Republicano no estado da Florida, sobrando uma esmagadora maioria de 84% de caucasianos. Com isto, entende-se que a vitória de Trump na Florida deveu-se sobretudo ao voto branco, que é imprescindível para vencer umas eleições primárias do Partido Republicano em qualquer sítio nos EUA. O mesmo não se pode dizer numas eleições presidenciais, onde o voto das minorias é cada vez mais preponderante. Se estiver interessado neste tema, aconselhe-a consulta dos estudos do luso-americano Ruy Teixeira, que estuda a demografia e o voto há bastante tempo. - Também em 2012, já se notava que na Florida o número de democratas registados era maior do que o de republicanos na mesma condição (numa proporção de 40% para 36%, como pode ver no figure 1 em http://www.sayfiereview.com/page/Who%20and%20Where%20are%20Floridas%20Democrats%20and%20Republicans). E esta é uma tendência que cresce, como se pode ler aqui: http://www.pewresearch.org/fact-tank/2016/03/09/democratic-edge-in-hispanic-voter-registration-grows-in-florida/ - Referiu o Havai. Como é sabido, estamos a falar de um estado que tem dimensões muito menores do que a Florida. Passando por cima disso, ainda assim, o facto de Trump ter vencido o caucus do Havai (os caucus atraem o eleitorado mais aguerrido e/ou militante, ao contrário de eleições primárias per se) não o torna como potencial vencedor nesse estado quando chegarem as eleições presidenciais. Ao contrário da Florida, o Havai está longe de ser um swing-state. Desde que o Havai começou a entrar nas contas nacionais em 1960, houve 14 eleições presidenciais. Nestas todas, o Partido Republicano só venceu em duas (1972, na re-eleição de Nixon; e 1984, na re-eleição de Reagan). Vai ser uma corrente muito difícil de contrariar para qualquer candidato republicano -- Trump inclusive. - Quanto às ilhas Marianas do Norte, há poucas pistas. Mas trata-se de um território de importância muito reduzida -- tão reduzida que nem chega a votar nas eleições presidenciais, embora o faça nas primárias. E o facto de o líder do Partido Republicano das ilhas Marianas do Norte ter declarado o seu apoio a Trump poderá ter sido um factor decisivo para o resultado final, em que este saiu com mais 70% dos votos. Obrigado pela leitura e pelo seu comentário. JAD

  • Quarta-feira, Fevereiro 3, 2016O conservador que detesta Washington D.C. mas sabe o caminho para lá de memóriaEm resposta a João de Almeida Dias

    Esqueci-me de referir que, obviamente, tratei de corrigir no texto a falha que apontou. Cumprimentos!

  • Quarta-feira, Fevereiro 3, 2016O conservador que detesta Washington D.C. mas sabe o caminho para lá de memóriaEm resposta a José Guilherme

    Caro José Guilherme, tem razão. Rick Santorum é católico — algo que não o impediu de conquistar o voto do eleitorado evangélico no caucus do Iowa em 2012. Já agora, se ainda não o tinha feito, recomendo-lhe a leitura de um artigo do Huffington Post de 2012 sobre a religião de Santorum, onde é apresentado o argumento de que ele é, na verdade, um "católico híbrido". Aqui fica o link: http://www.huffingtonpost.com/2012/01/11/rick-santorum-catholic-evangelical_n_1200219.html Obrigado e boas leituras!

  • Domingo, Outubro 25, 2015As eleições na Polónia podem levá-la mais à direita e para mais longe da EuropaEm resposta a Nuno Trindade

    Caro Nuno Trindade, Como fez bem em reparar, o valor que o PiS propõe para as despesas militares não é, de facto, 12,7 milhões de euros. Trata-se antes de 12,7 mil milhões de euros. Obrigado pela sua nota, a informação no texto foi entretanto corrigida. Boas leituras!

  • Terça-feira, Agosto 11, 2015Quando a Bíblia Sagrada ameaça o Livro Vermelho de Mao Tsé-TungEm resposta a Chevalier D'Arcy

    Caro leitor, A opção pela grafia de "deus" em vez de "Deus" é, como aponta, errada. Como tal, pode agora reparar que o texto foi corrigido. Desejo-lhe uma continuação de boas leituras.

  • Terça-feira, Agosto 11, 2015Quando a Bíblia Sagrada ameaça o Livro Vermelho de Mao Tsé-TungEm resposta a Alexandre Burmester

    Caro Alexandre Burmester, De facto, tratava-se de um erro, que teve razão em apontar. Como tal, ele já foi corrigido. Desejo-lhe uma continuação de boas leituras.

  • Terça-feira, Junho 9, 2015Uma fuga da prisão que parece um filmeEm resposta a Joaquim Santos

    Caro Joaquim Santos, Aceito a sua sugestão - tanto que acabo de alterar o texto nesse sentido. Cumprimentos!

  • Terça-feira, Junho 9, 2015Uma fuga da prisão que parece um filmeEm resposta a Tiago de Oliveira Cavaco

    Caro Tiago de Oliveira Cavaco, Obrigado pela correcção. Tem toda a razão. Por isso, o texto foi alterado. Cumprimentos!

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site