Rádio Observador

Argentina

Argentina tem dia nacional do Fado há dois anos mas não o celebra

301

Afinal, na Argentina já existe o dia nacional do Fado desde 2012, mas nunca foi celebrado. O 'pai' do dia que evoca Amália lamenta ao Observador que "ninguém se importou".

LUSA

Autor
  • Sara Otto Coelho

Portugal não tem um Dia Nacional do Fado, mas o género considerado Património Imaterial da Humanidade pela UNESCO está cada vez mais vivo por cá. Já na Argentina, onde o Senado De La Nación aprovou, em 2012, que o dia 6 de outubro passasse a ser Dia Nacional do Fado, nunca se assinalou a data.

A notícia de que a Argentina instituiu o Dia Nacional do Fado após o Festival do Fado, que decorreu em Buenos Aires no último fim-de-semana, espalhou-se pela imprensa portuguesa após o comunicado enviado, segunda-feira à noite, pela Everything is New. “O grande sucesso desta primeira edição na capital Argentina levou à instituição do Dia do Fado na Argentina, pelo Senado de La Nación Argentina”, pode ler-se no e-mail enviado às redações.

Só que o Dia Nacional do Fado já foi instituído pelo Senado em novembro de 2012 e tem pouca atenção por parte dos argentinos. “É uma lástima”, disse ao Observador o argentino Victor Antonio Lopes, que em 2012 levou ao Senado, com a sua irmã Andrea Lopes, a proposta de instituir o dia 6 de outubro como Dia Nacional do Fado. O dia escolhido foi o da morte de Amália Rodrigues, como forma de homenagear o nome maior do fado português.

“Sinto e vivo Portugal como se fosse a minha casa”, explica Victor Lopes, filho de pais portugueses, a partir da Argentina. “Sou apaixonado pelo tango e pelo fado. Em crianças ouvíamos sempre a Amália”.

A 6 de outubro de 2013, o primeiro Dia Nacional do Fado na Argentina não foi celebrado. “A iniciativa foi aprovada, mas ninguém se importou”, conta.

declaração fado argentina

 

No último fim-de-semana, a Usina del Arte, em Buenos Aires recebeu a primeira edição argentina do Festival do Fado na Argentina. A Everything is New e a Alto e Bom Som levaram ao país da América do Sul Ana Moura, Carolina, Miguel Capucho e Ângelo Freire.

A edição madrilena do festival acontece nos próximos dias 19, 20 e 21 de junho, nos Teatros Del Canal, com Mísia, Gisela João e Carlos do Carmo no cartaz. Para além da música, a programação inclui ainda cinema, conferências e exposições.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)