Um oficial da polícia não resistiu aos ferimentos provocados pela explosão de uma bomba elevando para dois o número de mortos de um atentado junto ao Palácio Presidencial, no Cairo, segundo as autoridades egípcias.

Um coronel da polícia já tinha morrido ao ser atingido por uma explosão mas, entretanto, um segundo oficial das forças de segurança morreu na sequência de ferimentos provocados por outra bomba no momento em que tentava desarmar o engenho explosivo de fabrico artesanal.

Um grupo extremista já tinha ameaçado levar a cabo atentados contra o Palácio Presidencial, apesar de descartar a utilização de bombas para evitar atingir a população civil.

O ataque registado hoje acontece precisamente no dia em que se assinala o primeiro ano sobre o início das manifestações que levaram à destituição do presidente Mohamed Morsi, que era apoiado pela Irmandade Muçulmana.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na semana passada, duas pessoas morreram e seis ficaram feridas na sequência de explosões no metropolitano e junto a um tribunal da capital.