As autoridades suíças pediram a extradição da médica portuguesa Telma Garcia, a única mulher portuguesa procurada pela Interpol, como o Observador então noticiou. A polícia suíça já suspeitava que estava no Brasil e no início de maio chegou a alertar as autoridades suíças para esse facto. Telma Garcia é suspeita de tentar assassinar o ex-marido, um médico belga com quem vivia na Suiça.

A procuradora encarregada do caso, Catherine Python Werro, confirmou à Lusa que o pedido de extradição foi enviado. E que o mesmo não aconteceu relativamente ao seu cúmplice no crime, o brasileiro Max Gleisson da Silva, porque as autoridades brasileiras podem, por si só, seguir com o procedimento criminal.

De acordo com  informações então recolhidas pelo Observador, o crime ocorreu a 23 de abril, quando Telma e o atual companheiro brasileiro entraram no apartamento da vítima, tentando obrigá-la a ingerir um “cocktail” venenoso. A vítima terá oferecido resistência tendo depois sido apunhalada. Ainda assim conseguiu fugir e pedir ajuda.

Os dois suspeitos fugiram no carro da vítima, que foi depois encontrado abandonado. Foi emitido um mandado de captura internacional, divulgado pela Interpol – entre a lista dos suspeitos mais procurados. A 5 de maio de 2014 a procuradora suíça, segundo a Lusa, ainda informou as autoridades brasileiras da presença da suspeita no Brasil, solicitando a sua detenção.

Só dois meses depois a portuguesa, de 27 anos, seria detida. Ter-se-à dirigido às autoridades, no bairro de Belford Roxo, no Rio de Janeiro, para se queixar de violência doméstica. Depois confessou que era procurada pelas autoridades. E admitiu a confissão por querer livrar-se do companheiro brasileiro e regressar à Europa.

Quatro dias depois, a dia 25 de julho, a Interpol Brasil avisou as autoridades suíças que a acusam de tentativa de homicídio e eventual sequestro e roubo.

Na página de Facebook criada em nome suspeita havia já indicação de que tinha passado por Santarém, onde estudou, Chaves, onde casou, e Fribourg, na Suíça – onde se instalou em outubro de 2013. A página foi encerrada logo após a detenção.