A negociação quadripartida entre ministros dos Negócios Estrangeiros, no domingo, em Berlim, sobre a situação na Ucrânia “foi difícil”, declarou no final Frank-Walter Steinmeier.

“A discussão foi difícil, mas penso e espero que tenhamos feito progressos em alguns pontos”, declarou o chefe da diplomacia alemã, no final de um encontro de cinco horas com os homólogos ucraniano, Pavlo Klimkin, russo, Serguei Lavrov, e francês, Laurent Fabius.

Steinmeier não esclareceu sobre que pontos falava.

Fonte diplomática francesa indicou também que, “apesar do ambiente difícil, registaram-se progressos”, sem adiantar pormenores.

Os participantes vão transmitir os resultados aos respetivos chefes de Governo, disse Steinmeier.

Na segunda ou na terça-feira, poderá ser decidido “sob que forma serão continuadas as negociações de hoje”, acrescentou.

“O objetivo continua a ser fazer o possível para contribuir para silenciar as armas na Ucrânia e evitar outras vítimas”, sublinhou.

Antes da reunião, o ministro alemão afirmou esperar poder definir um roteiro para um cessar-fogo, ao mesmo tempo que reconheceu que as partes estavam “longe de uma solução política”.

De acordo com as Nações Unidas, a insurreição separatista pró-russa no leste da Ucrânia fez, desde o início de abril, mais de 2.000 mortos em combates, e pelo menos 285.000 pessoas fugiram ao conflito.