Quatro familiares do paciente liberiano a quem foi diagnosticado o ébola, nos Estados Unidos, foram avisadas pelas autoridades de saúde do Texas para permanecerem em casa, em Dallas. Esta pode ser uma das formas de prevenir que a epidemia se propague naquele estado americano.

De acordo com o The Guardian, o doente poderá ter estado em contacto com cerca de 100 pessoas diferentes. Recorde-se que ele só começou a sentir sintomas do vírus uma semana depois de ter chegado aos EUA.

“Temos medidas protocolares para proteger as pessoas e evitar a propagação da doença”, disse esta quinta-feira. David Lakey, o comissário para a Saúde do estado do Texas. “Esta ordem dá-nos a capacidade de monitorizar a situação de uma forma mais meticulosa”.

O número de pessoas com que o paciente a quem foi diagnosticado o ébola já em solo americano tem aumentado nos últimos dias. O número inicial de 18 pessoas passou esta manhã para 80 e mais tarde para 100. Isto porque mesmo as pessoas que tiveram um mínimo contacto com o doente estão a ser monitorizadas pelos serviços de saúde.

As autoridades do Estado do Texas estavam à procura de todas as pessoas, crianças incluídas, que possam ter estado em contacto com um paciente liberiano, infetado pelo Ébola, que foi diagnosticado tardiamente nos Estados Unidos.

Até agora, nenhuma das pessoas que contactaram com o homem tiveram sintomas. O período de incubação varia entre dois e 21 dias e entre os sintomas de contágio estão dores de cabeça, febre ou vómitos.

Sem sintomas desde a sua chegada a Dallas em 20 de setembro, proveniente da Libéria, começou a sentir-se mal no dia 24 e dirigiu-se às urgências na noite de 25 de setembro, onde regressou três dias depois. Só depois ficou em quarentena.