O grupo parlamentar do PCP quer ter acesso ao inventário detalhado das obras da colecção BES Arte & Finança, que integraram o património do Novo Banco durante o processo de separação do BES em dois. O objetivo, dizem os comunistas, é obter esclarecimento sobre a titularidade de todas as obras.

Num requerimento dirigido ao Ministério das Finanças, por intermédio da Assembleia da República, o PCP diz que “é importante que se esclareça qual a titularidade de peças que possam ter dispersado ou, fazendo parte da coleção, possam ter ficado sob diferente titularidade”, para assim “salvaguardar o interesse nacional”.

O pedido de acesso ao inventário foi feito antes da tomada de posse da comissão parlamentar de inquérito sobre o BES e o GES, que iniciou os trabalhos esta quinta-feira, e, de acordo com o PCP, é independente do trabalho que se venha a realizar no âmbito da comissão.

O requerimento é assinado pelo deputado Miguel Tiago, que está a partir desta quinta-feira a coordenar os trabalhos do PCP na comissão parlamentar.