Votaram 2.043.226 catalães e 80,72% destas pessoas disseram que sim à possibilidade da Catalunha ser um Estado e sim à Catalunha ser independente. Um duplo sim que reforça as reivindicações desta região e que esmaga o não, que ficou apenas pelos 4,55%. Na próxima terça-feira, Mas vai explicar à região os próximos passos, já que esta consulta não teve qualquer validade jurídica.

“Quer que a Catalunha seja um Estado?” e “quer que esse Estado seja independente?” eram as duas perguntas a que os Catalães tinham de responder sim ou não e dos mais dois milhões de pessoas que participaram, mais de 80% respondem com um duplo sim – o número de participantes pode subir até às 2.250.000 pessoas já que havia mesas de voto internacionais. Artur Mas, presidente da Catalunha, disse que foi dado “um passo gigante como país” e uma lição de democracia a Espanha.

Houve ainda 10,11% das pessoas que responderam sim e não e 9,56% que votaram em branco.

“A jornada decorreu com absoluta normalidade. Os cidadãos da Catalunha continuaram, durante a tarde, a ir aos locais de voto, como de manhã, sem que se tenha registado qualquer incidente destacável”, afirmou. Joana Ortega falava aos jornalistas no centro de imprensa instalado pelo Governo regional para acompanhar o processo participativo de hoje, na primeira de três declarações que fará sobre o nível de participação.

“Tudo decorreu como previsto, graças aos mais de 40 mil voluntários que ajudam a tornar o dia de hoje numa jornada modelo de participação, de civismo, de qualidade democrática, aos olhos de todo o mundo”, disse. Ao início da tarde, Ortega tinha referido que até às 13:00 tinham votado cerca de 1,43 milhões de pessoas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

As urnas abriram às 09h00 locais (08h00 em Lisboa) e encerraram às 20h00, podendo votar quem já esteja em fila a essa hora. Os dados confirmam o que se tem visto nas ruas durante toda a jornada com longas filas em vários pontos de votação, depois de os 1.317 locais de voto terem sido abertos e as 6.695 mesas terem sido constituídas sem grandes incidentes a registar. Analistas referem que as grandes filas ao início da jornada poderiam traduzir uma estratégia “preventiva” de quem pretendia votar antes de qualquer eventual ação para fechar as urnas, algo que nunca chegou a ocorrer.

De referir que, durante todo o dia, se multiplicaram pelas redes sociais fotos, muitas delas selfies, durante o ato da votação, com os comentários e referências ao voto a tornarem o assunto um dos mais comentados no dia, por exemplo, no Twitter.

Fora da Catalunha, por exemplo, a delegação do Governo em Bruxelas registou mais de 500 votantes só nas primeiras quatro horas de votação. “Não esperávamos tanta gente”, admitia ao início da tarde Jaume Bardolet, o voluntário que está à frente do ponto de participação instalado na capital comunitária. O primeiro catalão a votar fê-lo na cidade de Sydney.

Podem votar na consulta de hoje todos os catalães com mais de 16 anos e todos os estrangeiros com mais de 16 anos que vivam na Catalunha. Nas últimas eleições realizadas na Catalunha, as europeias de maio último, o número total de votantes foi de 2,53 milhões ou 47,63%. Nas legislativas de final de 2011 votaram na Catalunha cerca de 3,5 milhões de pessoas, o que representa uma taxa de participação de 70,30%.

De referir ainda que nas eleições regionais de 2012 os partidos com assento parlamentar que apoiam a consulta – CiU, ERC, ICV e CUP – registaram, entre si, cerca de 2,09 milhões de votos. Recorde-se que o boletim de voto coloca duas perguntas: ‘Quer que a Catalunha seja um Estado’ e, em caso afirmativo, ‘Quer que esse Estado seja independente’.