O combate entre Floyd Mayweather e Manny Pacquiao era aguardado há mais de cinco anos. Foi marcado, desmarcado, marcado novamente e sempre adiado. No final de fevereiro foi anunciado que os dois se enfrentarão no dia 2 de maio, naquele que está a ser chamado o “Combate do Século” e que será o maior evento de boxe de sempre, devendo render 350 milhões de dólares (cerca de 329 milhões de euros). Quinze minutos depois da oficialização do combate, os 6.852 quartos do MGM Grand, o maior hotel de Las Vegas, onde decorrerá o confronto, foram vendidos.

Esta quinta-feira, os dois boxers estiveram juntos numa conferência de imprensa que contou com a presença de 700 jornalistas e que está a ser amplamente analisada discutida pelos especialistas na modalidade, que sublinharam o respeito existente entre os adversários.

Floyd Mayweather, 38 anos, tem uma carreira irrepreensível, sem uma única derrota. Em 2008, anunciou a reforma. Na altura, tinha 31 anos e 39 vitórias e era considerado o melhor lutador do mundo. Manny Pacquiao surgia em segundo lugar. A reforma de Mayweather durou apenas um ano, mas, durante esse tempo, Pacquiao tornou-se uma celebridade dos ringues. O filipino tem agora o primeiro lugar da Organização Mundial de Boxe. Foi precisamente em 2009 que começaram as negociações para o combate entre as duas estrelas.

Por fim, os boxers acabaram por concordar quanto à data, o local do combate (MGM Grand Garden Arena em Las Vegas), as estações televisivas a emitir (Showtime e HBO por pay-per-view), os testes de droga e a percentagem que caberá a cada um no final (60/ 40 a favor de Mayweather). Estima-se que o norte-americano possa levar para casa cerca de 120 milhões de dólares (aproximadamente 113 milhões de euros), em caso de vitória ou de derrota.