Tim Cook, o CEO da Apple, anunciou que vai doar toda a fortuna para causas filantrópicas. Com exceção de uma parte: o homem que sucedeu a Steve Jobs vai aplicar parte do seu património na educação do sobrinho, atualmente com 10 anos de idade.

Em entrevista publicada na revista Fortune, esta quinta-feira, Tim Cook mostrou já ter tudo pensado, embora não tenha adiantado datas concretas nem nomes de projetos. O homem que a Forbes diz ser o 25.º mais poderoso do mundo disse que já tem doado dinheiro, mas não se quer limitar a passar cheques. A ideia é, com o tempo, dedicar-se à filantropia.

Entre as causas às quais se tem dedicado destacam-se o fim da transmissão do vírus da sida, questões ligadas aos direitos humanos e a reforma da lei da imigração nos Estados Unidos.

“É como ser a pedra no lago que cria a ondulação da mudança”, explicou na entrevista Tim Cook, cujo património líquido, de acordo com a Fortune, é de 120 milhões de dólares, só em participações de ações da Apple. A publicação refere mais 665 milhões de dólares em ações. Parte desse património servirá para assegurar a educação do sobrinho até à universidade.