Câmara Municipal Lisboa

Costa sai da câmara: “A casa está arrumada”

209

António Costa renunciou dizendo que é tempo de "encerrar um ciclo e abrir um novo, na câmara e no país". E confirmou que vai passar a receber ordenado do PS: "Não tenho outra fonte de rendimento".

© Hugo Amaral/Observador

Os aplausos depois da renúncia duraram quase tanto tempo quanto o discurso. Foram pouco mais de três minutos de palavras para dizer adeus aos mais de sete anos à frente da Câmara de Lisboa. António Costa fez o balanço do mandato dizendo que “a casa está arrumada” e justificando a saída agora, a seis meses das eleições: é altura de “fechar um ciclo e abrir outro, na câmara e no país”. Fica o registo: às 12h35 do dia 1 de abril de 2015, António Costa deixa a presidência da Câmara de Lisboa. Com Fernando Medina, o sucessor emocionado ao lado, o (ex-)presidente renunciou ao cargo.

A casa está arrumada, a câmara a funcionar, com um quadro financeiro sustentado numa gestão de rigor e numa ambição realista. É tempo de encerrar o ciclo e abrir um novo, no município e no país. Sei que deixo o município em boas mãos, numa transição preparada e planeada que concretizamos hoje quando estamos a seis meses das eleições legislativas”, disse António Costa.

No discurso, começou por agradecer a eleitores, funcionários, autarcas de freguesia e vereadores para depois fazer um curto balanço da sua liderança. Para António Costa, que agora se vai dedicar ao PS e à campanha para as eleições legislativas, foram sete anos de governação “em contra-ciclo”, mas “Lisboa recuperou autoestima, orgulhosa da sua identidade bairrista e universalista”.

“Dinamizámos a economia da cidade, introduzimos rigor na gestão urbanística, investimos na educação, na cultura, nos direitos sociais, melhorámos o espaço público. Inovámos na mobilidade, no ambiente urbano e na descentralização”, disse Costa. “Vencemos a crise municipal e enfrentámos a nacional”, acrescentou, sublinhando o facto de “ao mesmo tempo” ter mantido “o diálogo com a oposição”.

Para o final, António Costa deixou um abraço a toda a equipa, mas em especial ao vice-presidente e seu sucessor Fernando Medina a quem deseja “as maiores felicidades”. Porque agora, disse, é tempo de ir lutar pelas legislativas. “Sigo a consciência de ser meu dever concentrar-me agora, como fiz há oito anos, com o mesmo espírito de serviço e a mesma determinação, a servir Portugal e os portugueses”, concluiu.

Mais tarde, aos jornalistas, disse apenas que se vai “dedicar com toda a energia” à campanha para as legislativas” e confirmou a notícia do Observador de que vai passar a receber ordenado do PS: “Vivo do meu trabalho não tenho outra fonte de rendimento”, justificou-se a rir.

A renúncia de António Costa foi anunciada, oficialmente, na terça-feira na reunião da Assembleia Municipal de Lisboa.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)