O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros português saudou o acordo alcançado na semana passada sobre o programa nuclear iraniano, numa conversa telefónica, nas vésperas da visita do chefe da diplomacia a Portugal.

“Durante a conversa com o seu homólogo, o ministro Rui Machete teve oportunidade de saudar o entendimento alcançado, no quadro das negociações sobre o programa nuclear iraniano, no passado dia 2, na Suíça”, disse fonte oficial do Ministério à agência Lusa, que revelou também a visita do governante a Lisboa no dia 15 deste mês.

O acordo de princípio sobre o programa nuclear iraniano vai prolongar-se por dez anos e prevê que Teerão mantenha 6.000 das atuais 19.000 centrifugadoras de urânio, uma redução de cerca de dois terços, segundo o anúncio feito na quinta-feira, em Lausanne, pela união Europeia e pelo Irão.

Rui Machete “referiu também que este acordo político de princípio é abrangente e equilibrado, estando assim lançadas as bases para que possa ser alcançado, até 30 de junho próximo, um acordo final que representaria um enorme contributo para a paz e segurança regional e internacional, sendo também um importante passo no contexto da não-proliferação nuclear”, acrescentou a mesma fonte.

A chefe da diplomacia da UE, Federica Mogherini, presidiu às negociações em Lausanne com o chefe da diplomacia de Teerão, Mohammad Javad Zarif, que visita Lisboa no próximo dia 15.

O grupo das grandes potências designado 5+1 que inclui os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França) e a Alemanha, negociava com os iranianos em Lausanne desde 26 de março.

O grupo das potências internacionais pretende assegurar um controlo estrito do programa nuclear iraniano e assegurar que Teerão possua a bomba atómica, em troca do levantamento das sanções internacionais que estrangulam a economia iraniana.

Este acordo de princípio sobre o nuclear deverá permitir de seguida a conclusão de um texto final, com aspetos técnicos e legais, que deverá ficar concluído até 30 de junho.