Marcelo Rebelo de Sousa considera que o Partido Socialista não tem alternativa a apoiar Sampaio da Nóvoa nas eleições presidenciais. Depois do “não” de António Guterres e de Jaime Gama, o Professor resume a situação. “Se o melhor, Guterres, não pode ser; se Jaime Gama não pode ser, se Vitorino provavelmente não pode ser, para quê andar à procura de um outro quando Sampaio da Nóvoa aparentemente se vai lançar a 28 ou 29 de abril?”.

As eleições presidenciais foram o tema principal no habitual comentário na TVI, apesar de Marcelo salientar que “as legislativas estão primeiro” e que “quem governa é o governo, e quem é prioritário é o governo”, dando razão a Jerónimo de Sousa e a Catarina Martins.

O social-democrata diz que “um dos problemas hoje da direita portuguesa é que não está a ver bem o filme”. E explica qual é o filme: “o PS não deu ainda apoio nem negociou nada previamente relativo à candidatura, mas Sampaio da Nóvoa esteve em Vila Franca de Xira convidado pelo PS, hoje Carlos César à saída de uma conferência de imprensa de Sampaio da Nóvoa fez-lhe um elogio, portanto, no contexto de não ter outro candidato, só se fosse suicida é que avançava com uma Maria de Belém ou outro nome parecido contra Sampaio da Nóvoa”.

Quanto a quem diz que Sampaio da Novóa pode não ser um candidato forte, Marcelo responde: “Além de ter o apoio de Mário Soares, pode vir a ter apoio de Eanes. Se for apoiado por três ex-presidentes (Mário Soares, Jorge Sampaio e Ramalho Eanes), acha que isto é um candidato fraco?”.