O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, acusou os Estados Unidos (EUA) e seus aliados de terem desencadeado a intervenção russa na Ucrânia. Shoigu afirmou que os EUA tentaram trazer Kiev para mais perto do Oeste, uma ameaça perante a qual a Rússia se viu obrigada a reagir.

“Os Estados Unidos e os seus aliados ultrapassaram todos os limites no seu impulso de trazer Kiev para dentro da sua órbita. Tal não poderia passar em branco em termos de uma reação da nossa parte”, declarou Sergei Shoigu esta quinta-feira em Moscovo, numa conferência anual sobre segurança, escreve a agência Reuters.

A Ucrânia tem tido uma importância estratégica histórica para a Rússia. Neste momento, o país permite a “separação” dos países pertencentes à Nato da Rússia, apresentando-se como um território neutro. Segundo o Governo de Moscovo, uma invasão desse espaço neutro apresenta-se como uma insinuação de ameaça à própria Rússia.

Shoigu acusou Washington, a capital dos Estados Unidos, de ambicionar o controlo militar e político do mundo.

O ministro russo afirmou também que os Estados Unidos orquestravam “revoluções de cores” para “derrubar” os governantes de que não gostavam. O termo “revoluções de cores” é habitualmente usado para denominar as revoluções que aconteceram nos países que antigamente pertenciam à ex-União Soviética, ao se definirem como nações independentes.

A Rússia anexou a península ucraniana da Crimeia em março do ano passado. Desde essa altura, a região encontra-se num conflito armado que já fez mais de 6.000 mortos. As hostilidades foram potenciadas pelos movimentos separatistas russos na Crimeia e já se expandiram para outras regiões de predominância russa. Os separatistas fazem pressão para que as regiões disputadas se separem da Ucrânia e se juntem à Rússia.