Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em apenas 24 horas, foram resgatados do Mar Mediterrâneo cerca de 3700 imigrantes que arriscaram a vida perseguidos pelo sonho de chegar à Europa. A informação é da própria guarda costeira italiana que lembra que, apesar de não ser um número recorde, é dos mais altos registados nos últimos anos, escreve o El País.

O número certo é de 3690 os imigrantes resgatados em apenas 24 horas. A 12 de abril tinham sido resgatados 3791 e um dia depois 2850. Durante este fim de semana, um patrulheiro francês resgatou na costa líbia 217 imigrantes que viajavam em três pequenas embarcações. As autoridades dizem, ainda, que foram detetadas, pelo menos, seis outras embarcações, sem especificar o número de imigrantes a bordo. Uma fragata italiana resgatou 778 imigrantes e um patrulheiro outros 675. Tudo durante o dia de sábado.

Mais a sul, junto à costa egípcia, três migrantes morreram antes de chegar à embarcação que os traria para a Europa. Outros 31 migrantes foram detidos pelas autoridades egípcias. O barco em que seguiam naufragou.

Estas ações integram uma operação da União Europeia nas águas do Mediterrâneo coordenada pelo Centro de Coordenação de Operações de Salvamento da Frontex, a agência de controlo de fronteiras europeias, sediada em Roma. No caso da embarcação francesa, esta chegou ali durante a passada semana como parte do reforço aprovado por Bruxelas, depois do naufrágio em que 800 migrantes perderam a vida.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR