O Supremo Tribunal dos Estados Unidos decretou esta sexta-feira que o casamento homossexual é um direito em todos os estados do país, numa decisão que está a ser considerada histórica.

O Supremo Tribunal considerou que a Constituição dos Estados Unidos exige que todos os estados reconheçam e formalizem o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A decisão foi recebida com manifestações de júbilo por ativistas dos direitos dos homossexuais que se concentraram junto ao edifício do Supremo.

A decisão foi aprovada com 5 votos a favor e 4 contra, escreve o New York Times.

“Nenhuma união é mais profunda que um casamento”, escreveu o juiz Anthony Kennedy ao tomar a decisão. Ainda não é claro quando é que vão ser emitidas as primeiras licenças de casamento ao abrigo desta nova lei nos estados em que o casamento homossexual era proibido.

Casa Branca pintada de arco íris

Barack Obama falou sobre a deliberação do Tribunal e, num discurso emocionado, afirmou que “quando todos os americanos são tratados como iguais, todos somos mais livres.” E acrescentou: “Hoje tornámos a nossa união um pouco mais perfeita”.

Em Washington, as celebrações começaram cedo:

No twitter sucedem-se as reações a esta decisão histórica que permite agora o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todos os 50 estados do país. O twitter oficial da Casa Branca mudou a fotografia de perfil e pintou o edifício com as cores do arco íris, que simboliza a luta pelos direitos LGBT em todo o mundo., escrevendo: “Love is Love” (Amor é Amor). Acrescentando: “Hoje o amor vence em todos os Estados da América”.

Hillary Clinton, que prepara a corrida à Casa Branca, também mudou as cores do logótipo da sua candidatura e escreveu:

Várias celebridades festejam a decisão do Supremo Tribunal norte-americano. E até a série Game of Thrones rejubila.

Do outro lado da barricada, a ala mais conservadora mostra-se descontente e receosa. Uns temem a poligamia:

O governador republicano do Wisconsin fala em erro grave.