Luís Amado e Jorge Tomé fazem parte das listas para os novos órgãos sociais do Banif. Os nomes para liderar o banco nos próximos três anos (2015-2017) vão ser eleitos a 26 de agosto, dia em que será retomada a assembleia geral do Banif que foi suspensa a 29 de maio.

O ex-ministro dos Negócios Estrangeiros do PS, Luís Amado, é o presidente do conselho de administração do Banif cuja comissão executiva é liderada por Jorge Tomé, o gestor que os maiores acionistas do banco foram buscar à Caixa Geral de Depósitos. A lista inclui contudo alguns nomes novos como Nuno Pedro Martins, Carlos Amaral Firme e Jorge Silveira Nunes. Mantêm-se os dois administradores indicados pelo Estado, Issuf Ahmad e Miguel Barbosa.

A eleição dos novos órgãos sociais surge no momento em que o futuro do Banif permanece incerto. Por um lado, ainda não foi possível encontrar investidores privados interessados em recomprar as ações que estão nas mãos do Estado português, na sequência do apoio público concedido. A expectativa da entrada de novos acionistas tinha sido um dos motivos invocados para suspender a escolha dos novos órgãos sociais.

Por outro lado, a Comissão Europeia abriu uma investigação aprofundada às ajudas concedidas pelo Estado português a banco e ao plano de reestruturação que foi apresentado por Portugal. O Banif recebeu um apoio de 1100 milhões de euros.