A Volkswagen deverá chamar à oficina 11 milhões de carros das marcas do grupo. Esta deverá ser uma das principais medidas para tentar responder à crise da manipulação dos testes às emissões poluentes nos carros a gasóleo. Segundo noticia a Agência Reuters, a marca alemã vai recolher os carros para substituir o equipamento alterado.

Citado pela Reuters, o novo CEO da Volkswagen, Matthias Mueller, afirma que está ser elaborado um plano “abrangente” de reequipamento a ser apresentado aos reguladores, para que os veículos manipulados passem a respeitar as normas de emissões. Este plano tem de ser apresentado até 7 de outubro.

O antigo líder da Porsche revela ainda que os clientes que tenham carros com o sistema alterado vão começar a ser chamados “nos próximos dias” para reajustar o software e que, em outubro, irá informar as autoridades sobre os ajustes técnicos que serão feitos.

Seat colocou no mercado 700 mil carros manipulados

Continuam a surgir notícias sobre o número de carros manipulados, de cada marca, que estão em circulação. Depois de se saber que 11 milhões de veículos de todo o Grupo Volkswagen foram manipulados, a Seat admitiu agora que, desses, equipou 700 mil carros com o motor a gasóleo EA189. Nestes motores foram instalados os sistemas fraudulentos que mascaram as verdadeiras quantidades de emissões de poluentes.

De acordo com El Mundo, os 700 mil carros foram distribuídos pela rede mundial da marca sem se saber, ainda, quantos foram comercializados em cada mercado. No entanto, este número representa 6,3% do total de 11 milhões de veículos alterados do universo Volkswagen.

Segundo os números conhecidos nos últimos dias ficam ainda 200 mil por identificar. Isto porque os 700 mil veículos anunciados pela Seat juntam-se aos 1,8 milhões de carros comerciais da marca Volkswagen e cinco milhões de modelos da mesma marca. A Audi anunciou 2,1 milhões de carros manipulados e a Skoda 1,2 milhões.