Ao oitavo ano de existência, os prémios da edição espanhola da revista de viagens Traveler, do grupo editorial Condé Nast, abrangeram, pela primeira vez, a vertente gastronómica. Houve três novas categorias a concurso, todas elas relativas ao ano de 2016: melhor restaurante de Espanha (Casa Solla, em Pontevedra), melhor bodega (Vega Sicilia), e melhor restaurante do Mundo. E foi nesta última categoria que o chef português José Avillez subiu ao palco para receber a distinção dada ao seu Belcanto.

O amor da dita publicação por Portugal não é novo. E não passa muito tempo sem que apareça a devida declaração, dos tesouros gastronómicos de Lisboa, à praia da Fábrica, em Cacela Velha, passando pelos encantos da Invicta. Do Belcanto dizem o seguinte:

O Belcanto e o seu chef José Avillez conquistaram a lúcida e melancólica Lisboa. A sua carta, baseada nos produtos do mar e da terra é toda uma experiência sensorial.”

Recorde-se que o único restaurante lisboeta com duas estrelas Michelin (e atual 91º da lista World’s 50 Best) reabriu recentemente depois de profundas obras de renovação, coordenadas pelo próprio Avillez, que deram nova dimensão à cozinha e trouxeram alguns elementos de cariz mais pessoal à sala, como uma instalação artística desenhada por si ou fotografias de autoria do seu pai.