Depois de, em 2013, ter escrito que a Praia de Dona Ana, em Lagos, era a melhor do mundo — o que, há quem diga, pode ter contribuído para as polémicas obras que lhe alteraram a configuração — a Traveler, na sua versão espanhola, voltou a distinguir uma praia portuguesa numa lista semelhante, de autoria da respetiva redação. Trata-se da Praia da Fábrica, também conhecida pelo nome da belíssima aldeia do Sotavento que a antecede, Cacela Velha.

Acessível apenas por uma curta (e barata, custa 1,50€) viagem de barco — ou a pé, pelo sapal, na maré baixa –, a dita praia consegue ser das poucas, naquela região, que mesmo no pico da época alta oferece areal de sobra para todos os que a procuram. Mesmo que esta eleição faça aumentar um pouco essa procura, é provável que continue a sobrar espaço, já que a maioria dos banhistas prefere outro tipo de acessos, mais convencionais. E ainda bem.

Não discutindo a justiça (ou não) da inclusão da praia nacional, a lista em questão deve ser encarada com relativa ligeireza: cada praia foi selecionada por um membro diferente da redação — jornalistas, editores ou designers — não estranhando, por isso, que em 15 praias, seis delas sejam espanholas. Afinal, lá como cá, o que é nacional é bom.

Veja na fotogaleria, em cima, todas as praias distinguidas pelo artigo da Condé Nast Traveler.