O Renault Clio R.S., um dos mais rápidos e eficazes pequenos desportivos do mercado, ganhou novos atributos. Exteriormente, passa a exibir o novo ar de família da gama, à semelhança do que acontece com as versões mais económicas. Mas complementa esse apuro estilístico com faróis “full” LED, novos farolins traseiros e a inclusão de jantes com 18” de diâmetro e um novo desenho. O detalhe mais marcante do renovado modelo está contudo ao nível dos projectores “R.S. Vision” que surgem em baixo, no pára-choques frontal, e que fazem recordar uma versão estilizada dos quadrados da bandeira de xadrez. Similares aos que equipavam o protótipo Concept R.S.16, equipado com mecânica do Mégane R.S. e apresentado no recente Grande Prémio do Mónaco de F1, estes projectores são formados por um conjunto de díodos (LED) a quem cabe desempenhar as funções de faróis antinevoeiro e de longo alcance, para além de iluminarem o interior das curvas.

Tal como até aqui, o mais desportivo dos Clio vai surgir em duas versões, a mais normal, denominada R.S. e a mais assanhada, apelidada de R.S. Trophy. Ambas recorrem ao motor 1.6 turbo com injecção directa de gasolina, capaz de debitar 200 e 220 cv, respectivamente. Em qualquer dos casos, o motor de quatro cilindros está sempre associado a uma caixa de dupla embraiagem EDC com seis velocidades e função “Launch Control”, para assegurar a máxima rapidez no arranque, sem que as rodas anteriores patinem em demasia.

Todas as versões usufruem do RS Monitor, o dispositivo que permite acompanhar diversos parâmetros do veículo através do ecrã central, bem como o R.S. Drive, que faculta ao condutor a possibilidade de escolher um dos três modos de condução disponíveis – Normal, Sport e Race.

Se o Clio R.S. de 200 cv já é um desportivo que impõe respeito, podendo estar equipado com dois tipos de suspensão (Sport, mais macia, e Cup, mais dura), o R.S. Trophy é o veículo que se impõe, sobretudo para aqueles que se dedicam a uma condução mais ousada e optam por visitas ocasionais a circuitos, para “track days”. É a pensar neste tipo de clientes que o R.S. Trophy, além dos 20 cv adicionais, oferece amortecedores ainda mais duros e molas mais curtas, que reduzem a altura ao solo em 20 mm à frente e 10 mm atrás. O escape completo concebido pela Akrapovic completa a oferta e apimenta o roncar do motor, que agora deverá estar afinado com a filosofia do veículo.

Os novos Clio R.S. e R.S. Trophy deverão chegar a Portugal em Setembro, com valores não muito díspares dos actuais, ou seja 29.000€ para o primeiro e 31.000€ para o segundo. O nível elevado de performances será mantido, como se prova pela capacidade de ultrapassar a barreira dos 100 km/h ao fim de apenas 6,0 segundos e atingir uma velocidade máxima de 235 km/h (ver ficha técnica).

4 fotos

Paralelamente, a Renault revelou também informações relativas à versão GT Line do Clio, aquela que permite ao utilitário francês usufruir de um aspecto mais desportivo e refinado, sem contudo fazer disparar os preços para valores menos acessíveis. Com diferenças ao nível das embaladeiras laterais, pára-choques à frente e atrás, além das jantes em liga leve específicas, o Clio GT Line distingue-se ainda no habitáculo por uma série de pormenores, do volante em couro perfurado aos bancos, mais desportivos e envolventes, passando pelos pedais em alumínio e a sigla GT Line, presente em vários locais. Em termos mecânicos, as versões GT Line irão continuar a utilizar os motores mais populares da gama, a gasolina e a gasóleo.