Autárquicas 2017

El País noticia Ventura como “candidato racista”

760

El País classifica candidato do PSD a Loures como "racista" e diz, com ironia, que "excluindo romeno, fala quase todas as línguas". Diferença de posições entre Passos e Teresa Leal Coelho é referida.

NUNO FOX/LUSA

A polémica de André Ventura já chegou à imprensa espanhola. O diário El País classifica o escolhido pelo PSD para a corrida à câmara municipal de Loures como “candidato racista”, dizendo que “a quatro meses das eleições autárquicas” os candidatos começam a “procurar votos” sem estarem preocupados com “maneiras” ou “princípios”. E aponta Ventura — — que perdeu o apoio do CDS, na sequência de declarações como: “Os ciganos vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado” — como exemplo desse “vale tudo” para ganhar votos.

O El País define Ventura como um “homem letrado” e, com ironia, diz que o candidato do PSD “excluindo romeno, fala quase tudo: espanhol, árabe, inglês, hebraico e francês”. A mesma peça diz que Ventura “não só não retificou nada do que disse”, como ainda “se vangloria de todas as mensagens de apoio que chegam de todo o país.”

O diário espanhol lembra que o CDS retirou o apoio a Ventura, mas que o antigo primeiro-ministro Passos Coelho decidiu manter o apoio ao candidato, ao contrário da sua “vice-presidente e candidata a Lisboa, Teresa Leal Coelho, que repudiou as acusações.

No domingo à noite, o antigo líder do PSD, Luís Marques Mendes, também criticou o apoio do PSD a André Ventura.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpantunes@observador.pt
Política

Três desafios para o 5.7

Alexandre Franco de Sá

Apesar das adversidades políticas, trata-se de despertar a direita acomodada e bocejante contra a hegemonia cultural de uma esquerda que, indisputada no espaço público, dociliza há décadas a sociedade

PCP

Patrão santo, funcionário posto fora da loja /premium

José Diogo Quintela

Estou chocado. Nunca pensei que o PCP não cumprisse a lei laboral. Mas o PCP está ainda mais chocado: nunca pensou ser obrigado a cumprir a lei laboral. É que escrevê-la é uma coisa, obedecê-la outra.

António Costa

O desnorte do 1.º ministro /premium

Manuel Villaverde Cabral

Tão inquietante ou mais ainda, o líder do PS e os seus parceiros parecem continuar convencidos que o alegado problema do euro é a Alemanha não querer partilhar os seus ganhos com os outros países

PCP

Patrão santo, funcionário posto fora da loja /premium

José Diogo Quintela

Estou chocado. Nunca pensei que o PCP não cumprisse a lei laboral. Mas o PCP está ainda mais chocado: nunca pensou ser obrigado a cumprir a lei laboral. É que escrevê-la é uma coisa, obedecê-la outra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)