O Senado norte-americano confirmou esta terça-feira a nomeação de Jerome Powell como novo presidente da Reserva Federal (Fed). Na votação desta tarde, 85 senadores votaram a favor e 12 contra a escolha de Donald Trump para suceder a Janet Yellen, a primeira mulher a liderar a Fed.

Jerome Powell tinha sido aprovado em dezembro pelo comité bancário do Senado, logo após a nomeação por parte do presidente, mas aguardava ainda confirmação do plenário. Powell assume as funções já a partir do próximo mês de fevereiro.

Quando foi nomeado, Jerome Powell comprometeu-se a “tomar decisões com objetividade […] na longa tradição de independência da política monetária”.

“Se a minha nomeação for confirmada pelo Senado, farei tudo o que estiver ao meu alcance para atingir os objetivos de uma estabilidade de preços e de um emprego máximo”, assegurou na altura.

Comité do Senado aprova Jerome Powell para a presidência da Reserva Federal

Com 64 anos, Powell foi durante mais de cinco anos membro do conselho de governadores da Fed e é um nome unânime entre Democratas e Republicanos.

No que toca à política monetária, a imprensa norte-americana sublinha que tudo indica que seguirá a linha da sua antecessora, mantendo a subida cautelosa das taxas de juro.

Formado em Direito e advogado de profissão, será o primeiro líder da Fed em 40 anos que não tem formação avançada em economia, sublinha a Associated Press.

Trabalhou durante vários anos como gestor de investimentos, o que o tornou numa das figuras mais ricas a liderar a Reserva Federal norte-americano. De acordo com a AP, a sua fortuna declarada está entre os 19,7 e os 55 milhões de dólares.