Foi o Serviço de Informações e Segurança (SIS) que alertou a Polícia Judiciária (PJ) para a possibilidade de um ataque na concentração de motards em Faro, este mês, motivando a megaoperação da Polícia Judiciária, na quarta-feira, que culminou na detenção de 59 elementos do grupo Hells Angels. Na informação do SIS havia pormenores que aceleraram a investigação que já corria na PJ, nomeadamente que o grupo dos Los Bandidos, liderado por Mário Machado — atacado num restaurante do Prior Velho — planeava entrar no recinto com pick up e fazer atropelamentos em massa semelhantes aos dos ataques terroristas que se têm registado pelo mundo.

Segundo o Diário de Notícias, que avança com a notícia este domingo, foi o diretor do Serviço de Informações de Segurança (SIS) quem alertou o diretor nacional da PJ da hipótese de os Bandidos, grupo liderado por Mário Machado, estarem a planear um ataque contra os Hells Angels no evento em Faro — que irá ocorrer entre 19 e 22 de julho –, em resposta ao incidente num restaurante no Prior Velho (Lisboa), em março passado.

O SIS dava contar de que os Bandidos poderiam estar a esconder armas e a planear um atropelamento em massa a membros dos Hells Angels, recorrendo a carrinhas alugadas em Espanha. Uma ação que seria levada a cabo por um grupo dentro dos Bandidos, os “Taking Care of Business” (TCB), composto por cerca de uma centena de elementos, a maioria de nacionalidade alemã, que estaria em standby perto da fronteira.

Como o risco era demasiado elevado, especialmente porque esta concentração em Faro junta outras pessoas — nomeadamente famílias –, a PJ decidiu agir, o que resultou na operação do passado dia 11, conta o DN.