Autoridade da Concorrência

Concorrência acusa Super Bock de impor preço mínimo em restaurantes, cafés e hotéis há 12 anos

Autoridade da Concorrência acusa empresa da Super Bock de impor preços mínimos aos distribuidores na venda da cerveja em cafés, restaurantes e hotéis. Prática restritiva da concorrência tem 12 anos.

​A Autoridade da Concorrência (AdC) acusa a empresa que comercializa a cerveja Super Bock e seus gestores de práticas restritivas da concorrência por fixação de preços mínimos de venda em hotéis e restaurantes.

A Super Bock Bebidas e seis administradores são acusados de determinarem preços mínimos de venda aos distribuidores durante pelo menos 12 anos, o que restringiu a concorrência entre operadores em prejuízo dos consumidores.

O regulador diz que está em causa uma nota de ilicutude (comunicação de acusação) que ainda não determina o resultado final da investigação iniciada em 2016 e que envolveu buscas e apreensões. Os visados terão ainda a oportunidade de exercerem o direito de audição e defesa e só depois é que haverá uma eventual condenação e, nesse caso, a aplicação de uma coima que pode ir até 10% do volume de negócios da empresa condenada.

O inquérito foi instaurado pela AdC, na sequência de duas denúncias relativas à implementação de acordos verticais de fixação de preços nos contratos celebrados pela Super Bock Bebidas com os seus distribuidores.

A Super Bock Bebidas é líder no setor da produção e comercialização de bebidas, designadamente cervejas, águas engarrafadas, refrigerantes, vinhos e sidras em Portugal. A empresa é detida pelo grupo Unicer.

“A investigação da AdC concluiu que a empresa visada não só fixou os preços de revenda, como determinou as margens de comercialização e outras remunerações diretas ou indiretas dos distribuidores das marcas de bebidas em causa no canal HORECA (hotéis, restaurantes e cafés)”.

De acordo com o regulador da concorrência, a interferência de um fornecedor para determinar preços aos distribuidores do seu produto restringe a capacidade destes competirem entre si. E ao eliminar a concorrência pelo preço, o resultado é prejudicial para o cliente final que não pode beneficiar de um preço mais baixo.

Neste investigação, a AdC concluiu ainda que a empresa visada não se limitou a fixar o preço, mas também a determinar a margem de comercialização e outras remunerações dos distribuidores do chamado cana HORECA, uma prática restritiva que dura pelo menos há 12 anos. Este comportamento é considerado uma “restrição grave” das regras nacionais e europeias da concorrência.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt
Religião

O Dia Mundial da Religião

Donizete Rodrigues

O Dia Mundial da Religião é um momento ecuménico para promover a convivência, o interconhecimento e o diálogo inter-religioso, buscando um futuro livre de preconceito, discriminação e intolerância.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)