Esta terça-feira o CDS-PP vai desdobrar-se em esforços para percorrer o país de norte a sul nos comboios da CP. No total, serão sete itinerários diferentes que vários dirigentes do partido irão realizar quase em simultâneo numa ação simbólica para demonstrar aquilo que os centristas consideram ser o mau estado da ferrovia em Portugal. Assunção Cristas e Nuno Melo serão as figuras de maior destaque numa iniciativa que pode ser vista como parte integrante de uma pré-campanha eleitoral para as eleições europeias do próximo ano.

Ao Observador, Nuno Melo, cabeça-de-lista às eleições europeias, explica que esta ação é principalmente “uma iniciativa nacional, que liga todo o país”. Mas não recusa uma “dimensão europeia” nesta ação, já que existem fundos comunitários dedicados aos transportes que a “tutela continua a desperdiçar”. Assim, esta iniciativa, garante, pode ser importante para as “eleições legislativas e europeias” mas serve sobretudo para alertar o país para um “problema grave” que precisa “de uma solução urgente”.

O eurodeputado alerta ainda para o facto de haver uma recusa “meramente ideológica” por parte do Governo e da maioria parlamentar de esquerda em abrir a empresa a investimento privado. Na ótica de Melo, “a geringonça vive suportada por dogmas estatizantes” que em vários casos – “como é o da ferrovia em Portugal” – impedem a tomada de medidas “e o adiamento dos problemas”.

Este é o panfleto que o CDS-PP vai distribuir durante a ação desta terça-feira.

Assunção Cristas vai apanhar um comboio nas Caldas da Rainha pouco antes do meio-dia com destino a Coimbra B, onde já se encontrará o eurodeputado Nuno Melo, que por essa altura já terá feito duas viagens: uma primeira de Viana do Castelo até Porto-Campanhã e uma segunda desde a Invicta até Coimbra B. Há ainda mais cinco rotas, do norte ao Algarve, onde participarão dirigentes regionais e alguns deputados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Esta não é a primeira vez que o CDS-PP escolhe a CP para fazer uma ação de pré-campanha. Já no final de julho, Nuno Melo e Pedro Mota Soares – número 3 dos centristas na lista para as europeias – apanharam um comboio na linha de Cascais para alertar para os problemas que a companhia e os seus utilizadores atravessam. O mote de ligação entre um problema aparentemente interno e a Europa está no panfleto que o partido irá distribuir esta terça-feira: “pior execução e desperdício de fundos comunitários”.

O CDS-PP foi, até agora, o único partido a anunciar os nomes que irão encabeçar a lista para as europeias. Nuno Melo é o número um, seguido da independente Raquel Vaz Pinto e do ex-governante Pedro Mota Soares.