A rede social Twitter removeu esta terça-feira mais contas associadas ao apresentador de rádio e teórico da conspiração norte-americano de extrema-direita Alex Jones, pelo excesso de comportamentos abusivos que violam a política da rede social.

Um porta-voz do Twitter confirmou a suspensão de 18 contas ligadas a Alex Jones por violarem a política de comportamento abusivo da rede social, depois de vários avisos.

No mês passado já tinham sido encerradas cinco contas do norte-americano.

A empresa sublinhou que vai continuar a analisar e avaliar relatórios de outras contas potencialmente associadas ao apresentador de extrema-direita e que tomará as providências necessárias caso encontre conteúdos que violem as regras, ou se outras contas forem usadas para tentar contornar a proibição decretada pela rede social.

Outras empresas de tecnologia, incluindo a Paypal, Youtube, Apple e Spotify já limitaram ou proibiram as atividades de Jones nas suas plataformas.

Jones tem sido amplamente criticado por promover notícias falsas sobre acontecimentos trágicos, como os ataques terroristas de 2001 ao World Trade Center, em Nova Iorque, que mataram quase 3.000 pessoas e o massacre de 2012, na escola de Sandy Hook, que vitimou 26 estudantes e funcionários.

Jones apresentada o programa “The Alex Jones Show” transmitido pela rede de rádio Genesis Communications Network e pela emissora de rádio World Wide Christian Radio (WWCR), difundido para todos os Estados Unidos e publicado sob a forma de vídeo na internet.