O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, pediu esta sexta-feira que as eleições da República Democrática no Congo de domingo decorram “num ambiente livre de violência”.

Em comunicado, Guterres encorajou os cidadãos a aproveitarem “esta oportunidade histórica de participar da consolidação das instituições democráticas no país”.

“O secretário-geral lembra a todos os atores que têm um papel fundamental na prevenção da violência eleitoral, evitando todo o tipo de provocação e mostrando o máximo de contenção nas suas ações e palavras”, refere o documento.

No domingo decorrem as eleições presidenciais, legislativas e provinciais no país, nas quais vai ser eleito um sucessor do atual Presidente Joseph Kabila. Uma das coligações da oposição já convocou um protesto contra a decisão das autoridades de adiar as eleições em três distritos do país, depois de a comissão eleitoral ter adiado as eleições em áreas do nordeste e oeste da República Democrática no Congo devido à situação de violência e à presença do ébola.

Estas eleições gerais têm sido adiadas desde dezembro de 2016, quando o segundo e último mandato presidencial de Kabila acabou, de acordo com os limites constitucionais.

O último adiamento foi anunciado na semana passada, depois de um incêndio num armazém de material eleitoral em Kinshasa, que destruiu milhares de máquinas de votação e material eleitoral, obrigando a alterar a data das eleições de 23 para 30 de dezembro.