As temperaturas nos Estados Unidos vão continuar a descer esta quarta-feira. No Minnesota, onde os termómetros deverão rondar os -34º, os ventos gelados podem vir a atingir os -57º, alertou a CNN. Em muitas localidades, o frio será superior ao sentido em algumas zonas da Antártida. Para a estação de McMurdo, localizada na ponta sul da ilha de Ross, estão previstos -8º, exemplificou o The New York Times. No glaciar de Priestley, as temperaturas deverão chegar aos -7º.

A América do Norte está a ser afetada por uma massa de ar gelado que, em circunstâncias normais, deveria estar acima do Pólo Norte. Os cientistas chamaram ao fenómeno “vórtice polar” e o pior ainda está por vir, alertou o meteorologista da CNN Dave Hennen. “O ar mais frio da última geração está a afetar o sul, com a zona do Upper Midwest a sentir já temperaturas abaixo de zero”, disse. Na fronteira dos Estados Unidos com o Canadá, as Cataratas do Niagara congelaram. Não muito longe dali, em Nova Iorque, a neve chegou aos dois metros de altura, uma situação que também não é normal.

Uma das localidades que mais deverá sofrer com o frio extremo será Chicago. Entre terça e quinta-feira, as temperaturas mínimas no estado do Illinois e restante zona oeste deverão variar entre os -28º e os -40º. Eliot Abrams, metereologista do AccuWeather, disse ao USA Today que a sensação térmica na cidade poderá chegar aos -51º. “Nunca estiveram -51º em Chicago, por isso não podemos dizer como é que é. Ninguém sabe exatamente como é“, admitiu.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

De acordo com o serviço nacional de meteorologia norte-americano, a última vez que a cidade teve temperaturas tão baixas foi em janeiro de 1985, quando estas atingiram os -32º, com ventos de – 48º, referiu o The New York Times. No estado do Illinois, foi em Congerville que os termómetros desceram mais baixo. A localidade registou -38º em 1999, um recorde que pode vir a ser ultrapassado esta quinta-feira quando se espera que o frio seja mais intenso, referiu o USA Today. O governador do Illinois, J.B. Pritzker, emitiu um alerta para as temperaturas “potencialmente históricas”.

A vaga de frio já levou ao cancelamento de mais de 2.700 voos, entre terça e quarta-feira. Desses, mais de 1.550 tinham como destino Chicago e as cidades do Midwest. Várias instituições de ensino decidiram fechar portas. Estima-se que cerca de de 72% da população continental dos Estados Unidos seja atingida por temperaturas geladas nos próximos dias. Há vários estados em sinal de alerta.