Nasceu no Porto, a 5 de abril de 1939, no seio de uma família ligada ao teatro, mas foi através da televisão, e de séries cómicas que conquistaram o grande público, que o ator Octávio Matos mais se destacou. A notícia da sua morte chegou este domingo, aos 79 anos, ficando por conhecer ainda quais as causas da morte. O ator foi encontrado sem vida em sua casa, segundo adianta a revista Tv Mais.

Miguel Dias, um dos amigos e colegas de profissão de Octávio Matos, partilhou a notícia com os seus seguidores através do Facebook, rede que usou para deixar a sua homenagem.

Uma notícia muito, muito triste..Adeus meu amigo. Até sempre.

Posted by Ruy de Carvalho on Sunday, February 3, 2019

Também o ator Ruy de Carvalho reagiu à morte de Octávio de Matos, num post no Facebook. “Uma notícia muito, muito triste. Adeus meu amigo. Até sempre”, escreveu Ruy de Carvalho.

Foi com apenas quatro anos, pela mão do pai, que subiu a um palco pela primeira vez, e aos anos 60 do século passado haveriam de ser marcados pela sua relação com esta arte. Do ABC ao Maria Vitória, o seu nome fica associado a uma série de marcos na história da Revista à Portuguesa. Remonta também ao começo desses anos, mais concretamente a 1965, a sua estreia no cinema, com “O Parque das Ilusões”, de Perdigão Queiroga, e se a relação com a sétima arte não ficaria por aqui, é através da televisão que reforça o seu vínculo com o grande público, quase sempre através do registo cómico.

O curriculum inclui séries como “Eu Show Nico”, “Nico D’Obra”, “Nós os Ricos”, Camilo o Pendura” ou “O Prédio do Vasco”.

Em 2016, emprestava a sua voz a uma das personagens de “O Panda do Kung Fu 3”, um dos últimos trabalhos do ator.