Eleições Europeias

Projeções: PS vence e o PAN é a maior surpresa da noite

216

O PS vence e o PSD fica pouco acima dos 20%, mas a surpresa das sondagens é a eleição quase garantida de pelo menos um eurodeputado do PAN. O Bloco pode também chegar aos 3 deputados.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

As projeções divulgadas pelas televisões às 20 horas trouxeram a confirmação da vitória do PS, com números entre os 30% e os 34% e a surpresa do PAN, que pode mesmo eleger dois deputados, de acordo com os números divulgados pela SIC/JFK-ISCTE. À esquerda, a CDU perde um deputado em ambas as sondagens com o partido a justificar a perda com “uma conjuntura diferente das eleições de 2014” e o Bloco de Esquerda comemora a hipótese de chegar aos três eurodeputados (tem atualmente apenas um).

As projeções dão ao PS a hipótese de eleger oito ou nove eurodeputados, um resultado aproximado ao conquistado em 2014. Bem mais distante percentualmente (na melhor das hipóteses consegue atingir os 25,8% apesar de não ultrapassar os 24% na sondagem da RTP/Universidade Católica) está o PSD que poderá perder um deputado no Parlamento Europeu e ficar-se pelos seis lugares.

Em 2014 o Bloco de Esquerda conseguiu 4,56% dos votos, elegendo um eurodeputado e as sondagens à boca das urnas desta noite dão ao partido uma percentagem entre os 8,5% e os 12%, garantido praticamente a duplicação de votos recebidos.

A surpresa da noite, o PAN, que durante a campanha eleitoral tinha surgido numa sondagem com uma otimista percentagem de 3,3% destacou-se ainda mais e surge nas projeções das 20 horas com uma percentagem entre os 4% e os 7,3%, uma percentagem máxima que daria ao partido a hipótese de levar para Bruxelas dois eurodeputados.

Praticamente empatado com o PAN surge o CDS que trazia para estas Eleições Europeias o objetivo de reforçar a presença no Parlamento Europeu. As sondagens dão ao partido, na melhor das hipóteses, a eleição de dois eurodeputados.

Oiça as melhores histórias destas eleições europeias no podcast do Observador Eurovisões, publicado de segunda a sexta-feira até ao dia do voto.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rpenela@observador.pt
Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina
134

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Eleições Europeias

Os ventos que sopram da Europa

Jose Pedro Anacoreta Correira

É preciso explicar que o combate pela redução de impostos não significa menos preocupação social. É precisamente o inverso: um Estado menos pesado contribui para uma sociedade mais justa. 

Desigualdade

Estudar é para todos?

José Ferreira Gomes

Todos os jovens merecem igual consideração e há que evitar oferecer diplomas sem valor futuro no mercado de trabalho. O facilitismo só vem prejudicar os jovens, em especial os socialmente mais frágeis

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)