Os Estados Unidos continuam a encontrar e divulgar provas sobre o eventual envolvimento do Irão no ataque a dois petroleiros no Golfo de Omã. Desta vez, o comandante da marinha norte-americana, Sean Kido, veio dizer que a embarcação japonesa Kokuka Coregeous — uma das duas atacadas — foi atingida por uma “bomba-lapa semelhante às utilizadas pelo Irão”.

Na conferência de imprensa em Fujairah (Emirados Árabes Unidos), Kido apresentou destroços de metal e um íman que foram recuperados do casco do petroleiro atacado na semana passada. Os EUA estão convencidos que estes restos foram deixados para trás pelos iranianos quando removeram uma mina que não explodiu que fora colocada no petroleiro japonês.

O Comando Naval Central considera que estas provas mostram que “o ataque contra o Kokuka Courageous e os danos que sofreu resultam da colocação de uma bomba-lapa no seu casco”. E que esse dispositivo é “semelhante às minas iranianas visíveis nos desfiles militares” do país.

O comandante revelou ainda que foram também recuperadas “impressões digitais de dedos e de uma mão” no casco do petroleiro, logo depois do ataque, e que podem ser usados na investigação que decorre sobre o ataque da semana passada. O Governo irnaiano tem rejeitado “categoricamente” qualquer envolvimento no ataque no golfo de Omã.