O líder da distrital de Lisboa, Ângelo Pereira — que apoiou Miguel Pinto Luz na primeira volta — declarou o apoio a candidatura de Luís Montenegro na segunda volta. Ângelo Pereira explicou, numa nota enviada ao Observador, que Montenegro é “o único candidato que pode oferecer um novo caminho para o PSD, pela mudança que representa, e pela liderança agregadora que quer exercer”.

Ângelo Pereira diz que “todos os que desejam a mudança devem votar em Luís Montenegro, para que esta seja possível”. O líder da distrital de Lisboa, acrescenta ainda: “Para o PSD mudar de rumo, abrir um horizonte de esperança no país e voltar a ser um partido de vitórias, todo juntos teremos de votar em Luís Montenegro”. Na análise à primeira volta, Ângelo Pereira está alinhado com Montenegro e regista que “os resultados eleitorais do passado sábado demonstram que a maioria dos militantes do PSD deseja a mudança“.

Depois do líder da distrital de Setúbal, Bruno Vitorino, o ter feito logo no dia a seguir às diretas, agora é a vez do presidente da segunda maior distrital do país o fazer. O apoio é particularmente importante porque a distrital de Lisboa é daquelas onde Luís Montenegro tem mais margem de crescimento: há 1471 votos em Pinto Luz na 1ª volta que ficam órfãos na segunda. Votos que também podem cair para Rio, que também teve um bom resultado na distrital (ficou a apenas 150 votos de Montenegro).

Só Lisboa não chega para Montenegro dar a volta, mas ajuda. O terceiro classificado nas eleições diretas do PSD, Miguel Pinto Luz, mantém a palavra que tinha dado antes do escrutínio: não apoiará ninguém à segunda volta, mas, naturalmente, que considera que os seus apoiantes são livres de o fazer. Bruno Vitorino e Ângelo Pereira reuniram-se logo no domingo com elementos da candidatura de Luís Montenegro. José Matos Rosa, diretor de campanha de Pinto Luz, também já declarou o apoio a Luís Montenegro.

Na mesma nota enviada ao Observador, Ângelo Pereira, deixa uma palavra a Pinto Luz, dizendo que “no PSD, tal como na vida, só é derrotado quem desiste de lutar” e diz que o candidato que apoiou à primeira volta “está de parabéns pela abordagem inovadora e reformista com que se apresentou: venceu categoricamente na Área Metropolitana de Lisboa, em Setúbal e na Madeira”. E lança Pinto Luz para as próximas diretas ao dizer: “Lançou as sementes do futuro, já no presente“.

Montenegro assim continua atrás dos votos de Pinto Luz e também dos abstencionistas da primeira volta. O próprio Luís Montenegro fez um vídeo de dois minutos, que partilhou nas redes sociais, onde começava por dizer: “O PSD votou ontem mais pela mudança e menos pela continuidade”. Depois dirigiu-se aos “9 mil companheiros” que não votaram para dizer que é “falsa a ideia de que faltam 300, 400 ou 500 votos a um dos candidatos para sair vencedor”. Montenegro destaca que “numa segunda volta partimos do zero e sairá vencedor aquele candidato que obtiver 50% dos votos mais um”. O espinhense está “confiante” que vai ser ele esse candidato.

View this post on Instagram

No próximo sábado é a oportunidade de mudar. É a última oportunidade de devolver ao PSD a chama e a alma para podermos reconquistar a confiança maioritária dos portugueses. O PSD votou ontem mais pela mudança e menos pela continuidade. É falsa a ideia de que faltam 300, 400 ou 500 votos a um dos candidatos para sair vencedor. Numa segunda volta partimos do zero. Nós temos na continuidade o conformismo e o divisionismo. O conformismo com as derrotas eleitorais, como aconteceu nas últimas legislativas e nas últimas europeias, e o divisionismo que temos vindo a ver e a assistir nas palavras do candidato Rui Rio e que ainda ontem foram reeditadas na sua declaração. Do lado da mudança, do nosso lado, vemos inconformismo, vemos ambição e vemos unidade. Eu conto convosco, com o vosso entusiasmo e com a vossa participação. Contem também comigo, com a minha convicção, com a minha força, com aquilo que sinto que podemos construir em conjunto.

A post shared by Luís Montenegro (@luismontenegro2020) on