A rainha Isabel II optou por usar um par de luvas brancas durante uma cerimónia de investidura que decorreu no palácio de Buckingham, esta terça-feira. Segundo noticiam os órgãos de comunicação locais, esta é a primeira vez que a rainha usa luvas durante uma ocasião desta natureza desde 1952 — sendo que em 54 recorreu ao mesmo acessório para armar cavaleiro Claude Pelly, da Força Aérea britânica. Apesar de o palácio real não ter confirmado se a decisão esteve relacionada com o Covid-19, é possível que tenha um caráter profilático. Ainda esta manhã, um porta-voz da Casa Real disse ao Express: “Estamos a seguir os conselhos do governo” em relação ao coronavírus.

Segundo um porta-voz da Casa Real, em declarações ao Metro, “não é incomum que a Rainha utilize luvas durante eventos públicos”. Com efeito, a rainha costuma utilizar luvas brancas ou pretas quando está em contacto com o público ou a receber visitas. As luvas utilizadas esta terça-feira, no entanto, são muito mais longas do que as outras, escreve o mesmo jornal. De resto, em cerimónias desta natureza, as mesmas costumam ficar de fora do look.

“A rainha não usa luvas em investiduras, mas é uma precaução. Faltam cerca de seis semanas para fazer 94 anos, uma idade na qual se está suscetível a um vírus deste género”, explicou Joe Little, um especialista na família real, acrescentando: “A outra alternativa seria cancelar a investidura, mas a Rainha é uma ‘monarca de negócios como sempre'”.

As investiduras são realizadas no salão de baile do palácio, onde são recebidas mais de 60 pessoas que são distinguidas e os seus convidados. Durante a cerimónia, a Rainha cumprimenta cada um dos homenageados, como aconteceu com o veterano Harry Billinge e a atriz Wendy Craig, dando-lhes um aperto de mão.