Pelo menos 174 grupos de solidariedade já foram criados no Reino Unido para ajudar com as compras, passear animais ou levantar medicamentos na farmácia a quem está isolado ou situação de fragilidade. Este tipo de ajuda de bairro não é caso único na Europa — incluindo em Portugal — mas neste caso há coordenação a nível nacional através das redes sociais, o que tem permitido um crescimento da iniciativa.

Estes grupos — totalmente formados por voluntários — oferecem ainda conforto à distância, por telefone, a pessoas que estejam em situação de quarentena.

De acordo com o The Guardian, estes grupos, que estão a ter coordenação nacional (Covid-19 Mutual Aid UK)’, organizam encontros online e dão indicações aos voluntários sobre como atuarem com precaução.

O movimento distribui panfletos nas ruas para divulgar a iniciativa — o que tem ajudado os idosos a aderirem.

“Acabei de receber um e-mail de um casal de idosos na nossa rua, que até aqui desconhecíamos, que tem problemas de saúde e que está a isolar-se como resposta a estes folhetos que colocamos nas portas. Esta ajuda é realmente importante e eficiente!”, diz Kevin Smith, um dos voluntários.

Em Portugal, há relatos de vários movimentos de bairro a fazerem ações deste género. Mas, ao contrário do Reino Unido, não é para já conhecida nenhuma iniciativa coordenada nem abrangente.

“Fiquem em casa e deixem-nos ajudar”. Os recados que os portugueses estão a deixar aos vizinhos a disponibilizar ajuda