As creches vão abrir no próximo dia 18 de maio e o pré-escolar no dia 1 de junho. A informação foi avançada pelo jornal Público e entretanto confirmada pelo Observador. Estas data foram reveladas pelo Governo esta quarta-feira aos parceiros sociais.

O jornal Público adianta que a abertura das creches prevê que, durante uma primeira fase, os pais possam optar ficar em casa. Nestes casos, terão direito a receber o apoio à família de 66% da remuneração. Também no dia em que abrem as creches, 18 de maio, abrem os centros de atividades ocupacionais para pessoas com deficiência, adianta o Público.

O primeiro-ministro está esta quarta-feira a ouvir os partidos, sindicatos e patrões sobre o fim do estado de emergência e o levantamento das medidas restritivas. Depois, segundo apurou o Obsevador, António Costa segue para um jantar com o Presidente da República no Palácio de Belém para lhe dar conta dos desenvolvimentos e acertar a decisão do Governo. Amanhã realiza-se o Conselho de Ministros que vai aprovar as medidas e o calendário da reabertura da economia e o desconfinamento do país, a partir de 3 e 4 de maio. No final da reunião será o primeiro-ministro fará um briefing onde irá explicar as medidas.

Lojas mais pequenas, cabeleireiros, livrarias, stands de automóveis. O que vai abrir daqui até junho

Algumas medidas são já conhecidas. Ao que o Observador apurou, a 4 de maio reabre o pequeno comércio até 200 metros quadrados, cabeleireiros e barbeiros, stands automóveis, desportos individuais com balneários fechados e livrarias. Em todos estes casos, será obrigatório o uso de máscaras.

A 18 de maio, além das creches, poderão as lojas até 400 metros quadrados, alguns espaços culturais e espetáculos, restaurantes e bares. A 1 de junho, além do pré-escolar deverão abrir as restantes lojas.

(Com Beatriz Ferreira)