O Presidente norte-americano vai assinar esta quinta-feira uma ordem executiva sobre as redes sociais, anunciou a Casa Branca, dois dias depois de o Twitter ter assinalado mensagens de Donald Trump com alertas de verificação de factos.

A porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany, comunicou aos jornalistas as intenções do Presidente, sem no entanto precisar o conteúdo daquela ordem.

Na terça-feira, a rede social Twitter assinalou pela primeira vez dois tweets do Presidente dos Estados Unidos com um link de “verificação de factos” no rodapé das mensagens em questão, por considerar “infundadas” e “potencialmente enganosas” as afirmações de Trump relacionadas com o voto por correspondência no país.

“As afirmações de Trump são infundadas”. Twitter faz fact-check a tweets do presidente dos EUA

Este procedimento nunca tinha sido aplicado ao chefe de Estado norte-americano, que conta com mais de 80 milhões de seguidores no Twitter.

O alerta do Twitter ocorreu depois de Trump ter difundido afirmações em que assegurava que o voto por correspondência nas presidenciais de novembro nos Estados Unidos pode ter consequências fraudulentas.

Trump falava depois de o governador da Califórnia, o democrata Gavin Newsom, ter decidido enviar boletins de voto por correspondência a todos os eleitores registados no estado, como medida excecional para a votação no contexto da atual epidemia da Covid-19.

Em reação à decisão da rede social, Trump rejeitou, ainda na terça-feira, a interferência do Twitter na “liberdade de expressão”, acusando ainda a plataforma de interferir nas eleições presidenciais agendadas para novembro deste ano.

“O Twitter está a reprimir por completo a liberdade de expressão e eu, como Presidente, não o vou permitir”, declarou.

Na quarta-feira, em nova mensagem no Twitter, Trump ameaçou mesmo regular ou fechar as redes sociais.

Trump ameaça fechar empresas de redes sociais após polémica com fact checks do Twitter

“Os republicanos sentem que as plataformas de redes sociais censuram totalmente as vozes conservadoras. Vamos regulamentá-las severamente, ou fechá-las, para evitar que isso aconteça”, escreveu o chefe de Estado norte-americano numa mensagem (tweet) naquela rede social.

O Twitter é a rede social mais utilizada por Trump para comunicar diretamente com apoiantes os seus simpatizantes, sem passar pelo filtro do jornalismo.