Por si só é inofensivo, mas quando associado a outras substâncias e em contacto com calor pode ser explosivo — e até já foi usado em vários atentados no mundo ao longo dos anos. O nitrato de amónio, a substância que poderá estar na origem das explosões desta terça-feira em Beirute, no Líbano, costuma ser utilizado como fertilizante e está acessível comercialmente.

“É um sal que é muito utilizado para fins não explosivos. Talvez 80% da sua produção seja usada para fertilizantes“, explica Mário Calvete, professor de Química da Faculdade de Ciências e Tecnologia de Coimbra, à Rádio Observador.

Professor de química sobre explosão em Beirute. “O nitrato de amónio não explode sozinho”

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.