Donald Trump não vai estar presente na tomada de posse de Joe Biden como novo Presidente dos Estados Unidos no próximo dia 20 de janeiro, anunciou o próprio em mensagem divulgada pelo Twitter. Já o vice-presidente, Mike Pence, diz que ainda não tomou uma decisão.

“Para todos os que perguntaram, não vou à Inauguração no dia 20 de janeiro”, escreveu Donald Trump no Twitter.

É a primeira vez em mais de 150 anos que o Presidente cessante recusa participar na tomada de posse do Presidente eleito.

De acordo com uma resenha histórica feita pela CNN, ao longo da história só houve três presidentes norte-americanos que recusaram participar na tomada de posse do sucessor: John Adams em 1801, John Quincy Adams em 1829 e Andrew Johnson em 1869.

Por seu turno, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, ainda não confirmou a presença na tomada de posse. De acordo com a imprensa norte-americana, o assessor de imprensa de Pence, Devin O’Malley, diz que o vice-presidente e a segunda-dama “ainda vão tomar uma decisão sobre a sua presença” na cerimónia.

O facto de Pence não acompanhar de imediato a decisão de Donald Trump é mais um sinal de como o vice-presidente também está, nestes últimos dias, a distanciar-se do Presidente.

Republicanos afastaram-se de Trump e confirmaram a vitória de Biden depois de uma noite caótica

Na quarta-feira desta semana, o Congresso norte-americano certificou formalmente o resultado eleitoral que deu a vitória a Joe Biden. A noite da cerimónia, que habitualmente é apenas um formalismo, ficou marcada por uma violenta invasão do edifício do Capitólio por manifestantes pró-Trump, incitados por um discurso que o Presidente cessante havia feito nessa mesma tarde.

Dos protestos resultaram cinco mortes, dezenas de feridos e várias detenções.

25.ª emenda ou impeachment. Os planos dos democratas (e um republicano) para destituir Trump antes do fim do mandato

O Presidente eleito, Joe Biden, classificou a invasão como um ato de “terrorismo doméstico” e o Partido Democrata, com o apoio de alguns elementos do Partido Republicano, está a trabalhar no sentido de forçar a destituição de Donald Trump antes do final do seu mandato.

Numa mensagem publicada esta sexta-feira no Twitter, Donald Trump condenou os protestos violentos, o que levou a que muitos dos seus apoiantes se sentissem traídos.

Donald Trump condenou invasão do Capitólio e aceitou resultados eleitorais: “Contaminaram a sede da democracia americana”