Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Basílio Horta garante que só em maio decidirá se é recandidato à câmara de Sintra, para um terceiro mandato na câmara municipal, mas, em entrevista ao Diário de Notícias, diz que só será candidato se for pelo PS – é onde se sente “confortável”. Mas, desde já, deixa rasgados elogios a António Costa – “é um dos mais brilhantes táticos que eu conheci na minha vida política”.

O presidente da câmara de Sintra ainda não decidiu mas mantém os mesmos três “critérios essenciais” que já tinha enunciado anteriormente: a saúde, a vontade e o apoio do Partido Socialista. “Não seria candidato por nenhum outro partido, nem independente, a não ser pelo Partido Socialista, onde me sinto muito confortável”.

Até hoje, o dia em que estou a falar consigo, os três estão satisfeitos. Tenho uma saúde normal, tanto quanto sei, o Partido Socialista, pelo que tenho ouvido, mantém a confiança no meu mandato e, em terceiro lugar, a vontade neste momento também existe. Mas além disto, obriga a uma reflexão mais profunda, que eu até agora não tenho feito. Espero em maio ter uma decisão sobre essa matéria que, se fosse hoje, era positiva. Em maio, espero que também possa ser, é provável que venha a ser, mas nessa altura tomarei uma decisão definitiva”, diz Basílio Horta.

Mesmo não sendo candidato assumido, Basílio Horta deixa, no entanto, uma palavra em relação ao que poderá ser o seu grande adversário nas Autárquicas – Ricardo Batista Leite, apoiado pelo PSD. “Não o conheço pessoalmente. A única coisa que tenho a dizer ao doutor Baptista Leite ou a qualquer outro candidato que surja é que a câmara está inteiramente ao dispor para lhe fornecer todos os elementos que deseje para poder fazer uma campanha com conhecimento e consistência.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Todos os candidatos merecem o meu inteiro respeito. Neste momento sou presidente da câmara, não sou candidato, e todos merecem o meu inteiro respeito”, afirma Basílio Horta.

Em comentário à polémica em torno dos apoios sociais, Basílio Horta aproveitou, porém, para deixar rasgados elogios a António Costa. O primeiro-ministro teve, aos olhos do presidente da câmara municipal de Sintra, uma resposta “elegante” ao Presidente da República. António Costa é uma “pessoa também com grande capacidade de adaptação aos problemas e de resolvê-los”.

“É um tático brilhantíssimo, o nosso primeiro-ministro, um dos mais brilhantes táticos que eu conheci na minha vida política e que já é longa. Respondeu de uma maneira elegante. Porque o problema não é jurídico efetivamente, é político”, considera Basílio Horta. Já Marcelo, por outro lado, que Basílio Horta conhece há mais de 40 anos, “fazer previsões sobre o doutor Marcelo Rebelo de Sousa nem a pitonisa de Delfos, se fosse viva, poderia fazer” – o Presidente da República é de uma “inteligência brilhante” e uma “pessoa de princípios”.