Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O dia ainda estava a nascer, os termómetros marcavam dois graus e junto ao portão verde do Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores da Câmara Municipal do Porto, onde este domingo 13.280 pessoas vão votar antecipadamente para as eleições presidenciais, a fila começava a formar-se pelas 7h30. Vários elementos da Polícia Municipal gerem o trânsito e orientam o estacionamento para o parque aberto especialmente para a ocasião e há quem já tire o cartão do cidadão da carteira e uma caneta para acelerar o processo.

Às 8h em ponto o portão abre-se e todos entram ordeiramente subindo uma rampa íngreme até a uma pequena tenda de informações. É aqui que os eleitores são informados do número da sua mesa de voto e reencaminhados para o local certo. Há 22 mesas disponíveis, distribuídas por um pavilhão e duas tendas instaladas num campo de futebol sintético. Este domingo, as bancadas brancas estão vazias, as balizas foram unidas por cadeados e o chão foi pincelado de setas azuis que indicam a distância social recomendada e o trajeto para entrar e sair do recinto.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.