Investir em fundos de investimento em 2015 poderia ter sido mais rentável. Os fundos disponíveis aos clientes de retalho da banca portuguesa renderam, em média, 1,82%. Todavia, se tivesse seguido um dos principais conselhos que o Observador publicou há cerca de um ano, teria encaixado o maior retorno entre os 3.349 fundos. O BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR, um dos 41 fundos que recomendámos aos nossos leitores, ganhou 26,18%, já depois de descontar a retenção de 28% dos ganhos por conta de IRS.

A partir dos escritórios da sociedade gestora BlackRock, a apenas 300 metros da sede original da bolsa de Londres, David Tovey procura ações por toda a Europa. Tovey, que partilha a responsabilidade da gestão com Simon Hunter, sediado em Edimburgo, na Escócia, tem menos limites do que a maioria dos gestores de fundos de ações europeias. Além do seu âmbito geográfico incluir países da antiga União Soviética, os especialistas podem investir mais dinheiro do que têm disponível.

A política de investimento do BlackRock European Opportunities Extension prevê a celebração de contratos financeiros para a exposição aos mercados acionistas ser superior a 100% do dinheiro disponível. David Tovey e Simon Hunter também podem assumir posições curtas, isto é, vender o que não têm, procurando ganhar com a desvalorização de títulos europeus.

Porta fechada

Mostrar Esconder

Já não é possível investir no BlackRock European Opportunities Extension. A grande dimensão do fundo levou a administração da sociedade gestora a suspender as subscrições. Os ativos sob gestão estão acima dos 650 milhões de euros, mais de dez vezes a carteira do Santander Acções Europa, o maior fundo português de ações europeias.

No início de 2016, o Reino Unido, a Suíça, a Dinamarca e a Suécia eram os principais destinos dos investimentos do BlackRock European Opportunities Extension. Graças às posições curtas, a Noruega recebia a maior exposição negativa. Portugal não estava no radar de Tovey e Hunter.

Um ano muito bom não é garantia de que o seguinte também será. O UBAM Turkish Equity R, um dos fundos que mais renderam em 2014, como noticiou o Observador na altura, perdeu 24,76% em 2015. Porém, a equipa de David Tovey tem habituado os subscritores a elevados ganhos: a rentabilidade anual líquida dos últimos cinco anos foi de 16,66% por ano. O segundo melhor fundo de ações europeias neste prazo, o Jupiter European Growth L EUR, deu 11,27%.

O Observador está agora a preparar uma nova lista de fundos recomendados para 2016, que publicará nos próximos dias. Por estar fechada a novas subscrições, o BlackRock European Opportunities Extension não será a escolha na categoria de fundos de ações europeias.

Um português entre os mais rentáveis

O BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR não foi o único fundo que conseguiu um bom desempenho a investir nos mercados acionistas europeus. O JPMorgan Europe Dynamic Small Cap D EUR, o Allianz Europe Small Cap Equity AT EUR e o Jupiter European Growth L EUR também conseguiram ascender à lista dos dez fundos mais rentáveis do ano.

À exceção do Morgan Stanley Global Opportunity B, que procura ações a nível mundial, os lugares restantes no grupo dos dez fundos mais rentáveis em 2015 são ocupados por fundos de ações japonesas, incluindo o português Caixagest Acções Japão.

Europa e Japão decisivos na lista dos dez mais rentáveis
As duas regiões foram as que mais ganhos deram aos subscritores portugueses de fundos de investimento em 2015. Estes são os fundos que mais renderam no ano passado.
ISIN Fundo Rentabilidade líquida
2015
Categoria
LU0418790928 BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR 26,18% Fundos de ações da Europa
LU0106243719 Schroder Japanese Smaller Companies JPY B 24,47% Fundos de ações de PME do Japão
Lu0210075874 JPMorgan Europe Dynamic Small Cap D EUR 23,62% Fundos de ações de PME da Europa
LU0293315296 Allianz Europe Small Cap Equity AT EUR 23,20% Fundos de ações de PME da Europa
LU0117866185 JPMorgan Japan Equity D USD 22,38% Fundos de ações do Japão
LU0217390813 JPMorgan Japan Equity D EUR 22,38% Fundos de ações do Japão
LU0552385378 Morgan Stanley Global Opportunity B 22,16% Fundos de ações do mundo
LU0011890265 Henderson Horizon Japanese Smaller Companies A2 USD 21,84% Fundos de ações de PME do Japão
LU0260085492 Jupiter European Growth L EUR 21,45% Fundos de ações da Europa
PTYIVSLE0008 Caixagest Acções Japão 21,44% Fundos de ações do Japão
Fonte: Bloomberg. Rentabilidades líquidas de IRS à taxa de 28%.

O Caixagest Acções Japão, comercializado pelo Banco Best e pela Caixa Geral de Depósitos, é um dos fundos portugueses mais antigos ainda em atividade. Foi lançado como BNU Japão em setembro de 1999 pela Investil, a sociedade gestora do Banco Nacional Ultramarino. Após a incorporação do BNU na CGD, a Caixagest assumiu a gestão do fundo e renomeou-o em 2002.

22,47%

Foi quanto rendeu em 2015 o Nikkei 225, o principal índice de ações japonesas, em euros. Na moeda local, o iene, o índice ganhou 10,97%, incluindo o reinvestimento dos dividendos.

As empresas ligadas ao setor primário lideraram os ganhos. É o caso das ações da Nippon Siusan Kaisha, no negócio dos produtos alimentares de origem marítima, que renderam 82,61% em ienes.

Fonte: Bloomberg.

Apesar de ter ganho 21,44% em 2015, o Caixagest Acções Japão desvalorizou-se 42,19% desde que foi lançado até ao final do ano passado, o equivalente a um prejuízo anual de 3,30%.

Os gestores da Caixagest, apoiados pelos consultores financeiros do grupo alemão Allianz, procuram ações nas bolsas de Tóquio e Osaca. No início do dezembro passado, os títulos do grupo financeiro Mitsubishi UFJ Financial, do fabricante de motociclos Yamaha Motor e do conglomerado Sony eram os principais investimentos.

Ao contrário dos restantes fundos do quadro anterior, os 1.134 subscritores que o Caixagest Acções Japão tinha no início do segundo semestre de 2015 podem ser alvo de uma comissão de resgate. A Caixagest cobra 1,5% do capital mobilizado quando a duração do investimento é inferior a um ano.

Bolsa portuguesa no topo dos ganhos

Pouco abaixo na lista dos fundos mais rentáveis de 2015 surgem vários fundos de ações portuguesas. A alta da bolsa portuguesa permitiu que os gestores dos oitos fundos de ações nacionais disponíveis aos investidores registassem ganhos médios de 13,40%.

14,93%

Este foi o retorno do PSI 20, o principal índice da bolsa portuguesa, em 2015, incluindo o reinvestimento dos dividendos. A Altri, que produz pasta de eucalipto, teve o maior avanço: rendeu 107,05%. Foi seguida pela Jerónimo Martins, a dona da cadeia Pingo Doce, que deu 51,32%.

Fonte: Bloomberg.

O IMGA Ações Portugal, comercializado pelo ActivoBank e pelo Millennium bcp, alcançou a valorização mais alta, 19,53%, de acordo com os cálculos do Observador baseados nos dados da Bloomberg, mas ficou muito próximo do Banif Acções Portugal, que ganhou 19,01%.

Excluindo o Alves Ribeiro Médias Empresas Portugal, a maior exposição dos fundos de ações portuguesas em dezembro passado eram contratos de futuros sobre o índice PSI 20, revela a base de dados da Morningstar. Estas apostas permitem replicar o desempenho do índice. Os fundos da sociedade gestora do Novo Banco, o NB Portugal Ações e o luxemburguês NB Portugal Equity, também estavam expostos ao PSI 20 através do investimento no fundo cotado ComStage PSI 20 ETF.

Uma década perdida
Embora 2015 tenha sido muito positivo, os investidores que aplicaram há dez anos nos fundos de ações portuguesas ainda estão a perder. A exceção é o BPI Portugal cuja rentabilidade na década é pouco superior a zero.
ISIN Fundo Rentabilidade anualizada líquida
2015 2013-15 2011-15 2006-2015
PTAFIALM0006 IMGA Ações Portugal 19,53% 7,90% 0,20% -0,52%
PTYBNKLM0003 Banif Acções Portugal 19,01% 8,82% 1,25% -1,47%
PTYPIGLM0000 BPI Portugal 16,80% 8,87% 1,49% 0,09%
PTYCXNLP0004 Caixagest Acções Portugal 15,59% 7,28% -1,82% -4,43%
PTARMAME0005 Alves Ribeiro Médias Empresas Portugal 10,97% 6,64% -2,92% -3,85%
PTYESYLM0009 NB Portugal Ações 9,36% 6,63% -0,35% -1,40%
PTYSAFLM0006 Santander Acções Portugal 8,20% 8,05% 0,10% -0,74%
LU1017157287 NB Portugal Equity 7,71% não aplicável
Fonte: Bloomberg. Rentabilidades líquidas de IRS à taxa de 28%.

Embora já não apliquem comissões de subscrição, as sociedades gestoras dos fundos de ações nacionais ainda podem cobrar comissões de resgate quando a duração do investimento é curto. No Banif Acções Portugal e no Santander Acções Portugal, o custo pode chegar a 2% dos ativos mobilizados. A gestora do Novo Banco é a única que nunca cobra.

Observador acima da média

O BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR não foi a única recomendação certeira do Observador. Nas 41 categorias de fundos avaliadas no artigo “Evite 3.269 fundos. Apenas 96 merecem o seu aforro” somente seis fundos recomendados renderam menos do que a média da concorrência.

Além do fundo da BlackRock, outros fundos eleitos pelo Observador lideraram os ganhos de 2015 nas suas categorias. Foi o caso do UBAM Equity BRIC+ R, que investe nos mercados acionistas do Brasil, da Rússia, da Índia e da China, do Vontobel Clean Technology B EUR, que aposta em empresas na área do meio ambiente e do clima, o Goldman Sachs India Equity Portfolio Base, especializado nas bolsas indianas, e o Vontobel US Dollar Money B USD, um fundo de tesouraria em dólares.

(Atualização: Um leitor perguntou-nos qual foi o desempenho médio dos 96 fundos incluídos no artigo “Evite 3.269 fundos. Apenas 96 merecem o seu aforro”. Foi pouco diferente: a rentabilidade anual líquida média foi de 7,47%.)

7,66% em 2015
A carteira composta pelos 41 fundos recomendados pelo Observador há um ano rendeu 7,66% em 2015. Estes produtos ganharam, em média, mais 3,86 pontos percentuais do que os seus pares.
ISIN Fundo Categoria Rentabilidade em 2015
Fundo Média da categoria
Fundos de ações
LU0137005913 Vontobel US Equity C USD Fundos de ações da América do Norte 12,74% 4,39%
LU0378801590 Schroder Asian Total Return GBP A* Fundos de ações da Ásia 5,23% -0,02%
LU0306286328 UBAM Equity BRIC+ R* Fundos de ações do Brasil, da Rússia, da Índia e da China 1,85%** -5,34%
IE00B543WZ88 Neuberger Berman China Equity USD A Fundos de ações da China 8,76% 3,90%
LU0143868825 Threadneedle Global Energy Equities DU Fundos de ações de empresas mundiais de energia -15,02% -21,44%
LU0229948756 Franklin Global Real Estate N USD Fundos de ações de empresas mundiais de imobiliário 7,14% 4,49%
LU0432979960 JPMorgan Global Healthcare D USD Fundos de ações de empresas mundiais de saúde 9,08% 10,12%
LU0070992663 Henderson Horizon Global Technology A2 USD Fundos de ações de empresas mundiais de tecnologia 11,41% 9,99%
LU0384405600 Vontobel Clean Technology B EUR Fundos de ações de empresas mundiais do meio ambiente e do clima 10,09% 5,14%
LU0270904781 Pictet Security Fundos de ações de empresas mundiais socialmente responsáveis 11,84% 3,96%
LU0418790928 BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR* Fundos de ações da Europa 26,18% 8,11%
LU0300038451 Jupiter New Europe L GBP Fundos de ações da Europa emergente 0,59% -0,74%
LU0333810009 Goldman Sachs India Equity Portfolio Base* Fundos de ações da Índia 10,35% 6,12%
LU0270818197 Schroder Japanese Opportunities A* Fundos de ações do Japão 18,78% 12,95%
LU0137006218 Vontobel Emerging Markets Equity C USD Fundos de ações de mercados emergentes 0,30% -7,23%
LU0308372076 Goldman Sachs GMS Dynamic World Equity Portfolio Base* Fundos de ações do mundo 6,06% 4,63%
LU0049112450 Fidelity Pacific A USD Fundos de ações do Pacífico 8,09% 4,00%
LU0205193807 Schroder US Small & Mid-Cap Equity USD C Fundos de ações de PME da América do Norte 8,75% 3,82%
LU0125944966 MFS Meridian European Smaller Companies A1EUR Fundos de ações de PME da Europa 15,68% 17,60%
IE0003867441 BNY Mellon Small Cap Euroland A EUR Fundos de ações de PME da zona euro 18,08% 15,83%
LU0011890265 Henderson Horizon Japanese Smaller Companies A2 USD Fundos de ações de PME do Japão 21,84% 15,69%
LU0245329841 Goldman Sachs Global Small Cap Core Equity Portfolio Base Close* Fundos de ações de PME do mundo 9,35% 7,08%
LU0995123774 Schroder UK Opportunities USD A* Fundos de ações do Reino Unido 3,87% 5,20%
LU0256840793 Allianz Euroland Equity Growth CT EUR Fundos de ações da zona euro 13,93% 8,30%
Fundos mistos
LU0033040865 UBS SF Growth (USD) P Fundos mistos predominantemente de ações 6,42% 3,63%
LU0219418836 MFS Meridian Global Total Return A1EUR​ Fundos mistos neutros 5,21% 2,53%
LU0033043885 UBS SF Yield (USD) P Fundos mistos predominantemente de obrigações 6,56% 1,24%
PTYESALM0007 NB PPR Fundos de poupança-reforma 8,19% 2,10%
Fundos de obrigações
LU0281579598 Pioneer Euro High Yield A EUR* Fundos de obrigações de alto rendimento da Europa 1,25% 1,68%
LU0171285157 BlackRock Global High Yield Bond E2 USD Fundos de obrigações de alto rendimento do mundo 4,05% 0,78%
LU0116737759 Credit Suisse High Yield USD Bond B USD Fundos de obrigações de alto rendimento dos EUA 4,98% 1,58%
LU0546914242 NN (L) Asian Debt (Hard Currency) X Cap USD Fundos de obrigações da Ásia 9,04% 3,78%
LU0351442776 Schroder Global Convertible Bond USD B Fundos de obrigações convertíveis do mundo 10,26% 4,55%
PTYAFHLM0009 IMGA Rendimento Mensal Fundos de obrigações de curto prazo em euros -0,78% -0,22%
LU0115104423 JPMorgan US Bond D USD Fundos de obrigações dos EUA 7,20% 4,94%
LU0062574610 NB Euro Bond Fundos de obrigações da Europa 4,32% 0,13%
LU0144751251 Candriam Bonds Emerging Markets N Fundos de obrigações de mercados emergentes 7,15% -0,83%
LU0546920561 NN (L) US Credit X Cap USD Fundos de obrigações do mundo em dólares 7,40% 5,90%
PTYEVHHM0001 NB Rendimento Plus Fundos de obrigações do mundo em euros -0,49% -0,46%
Fundos de tesouraria
LU0120690226 Vontobel US Dollar Money B USD Fundos de tesouraria em dólares 8,17% 7,97%
PTYBNILM0007 Banif Euro Tesouraria Fundos de tesouraria em euros 0,13% -0,11%
Fonte: Bloomberg, CMVM. Rentabilidades líquidas de IRS à taxa de 28%. *Estes fundos já não são comercializados pela banca portuguesa no retalho. **Até 26 de novembro de 2015.