[O Observador publicou um artigo mais recente com recomendações de fundos de investimento em janeiro de 2016: “Não se deixe apanhar. Descubra os únicos 55 fundos que valem a pena”.]

Não é de estranhar que muitos investidores estejam perdidos. Só na área dos fundos de investimento, que, em Portugal, representam mais de 24 mil milhões de euros aplicados, os produtos contam-se aos milhares. O Observador dedicou-se, nas últimas quatro semanas, a compilar informação sobre os 3.365 fundos disponíveis aos aforradores portugueses de retalho. Esprememos todos os dados para chegar aos 96 fundos que podem merecer o seu dinheiro. Estão elencados em baixo, organizados por categoria de investimentos.

Entre estes 96 fundos, apenas sete são portugueses. É natural: apenas 6% dos 3.365 fundos disponíveis aos investidores nacionais são geridos por sociedades portuguesas.

As recomendações não são subjetivas. Baseiam-se nos dados históricos de cada um dos 3.365 fundos. A informação passada não é garantia de desempenho futuro, mas é provavelmente o melhor indicador. No final desta página, pode ler exatamente como elegemos os melhores fundos, bem como sobre as fontes de informação usadas.

Embora tenhamos um fundo sugerido por categoria, isto não quer dizer que recomendamos todas as categorias. Fique atento: publicaremos, em breve, um artigo sobre como construir uma carteira com alguns destes melhores fundos.

[Atualização: Com base nas recomendações deste artigo, publicámos “Duzentos euros. É o suficiente para a sua carteira de longo prazo” e “Às compras no supermercado de fundos? Saiba o que escolher para a sua carteira”.]

Para facilitar a sua navegação, use este índice para saltar para a categoria que mais lhe interessa:

Fundo de ações da América do norte

Vontobel US Equity C USD

ISIN LU0137005913
Rentabilidade 2014 16,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 12,7%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 179 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Pioneer US Fundamental Growth C EUR, Pioneer US Fundamental Growth C USD, Axa Rosenberg US Enhanced Index Equity Alpha B

O BPI América D foi o fundo português mais rentável em 2014 e o terceiro melhor entre os fundos de ações norte-americanas, mas isso não é suficiente para o seu dinheiro. O Vontobel US Equity C USD é melhor: embora seja ligeiramente mais volátil, os retornos de longo prazo foram superiores. Além disso, os subscritores do fundo Vontobel não pagam comissões de resgate. No BPI América D, há lugar a uma comissão de resgate se o reembolso for pedido menos de seis meses depois da subscrição.

Os gestores Matthew Benkendorf e Edwin D. Walczak, que trabalham a partir de Nova Iorque, buscam ações norte-americanas que estejam subavaliadas. No início de 2015, as maiores apostas na carteira do fundo Vontobel eram a Visa, a Coca-Cola e a Philip Morris International. 

Fundo de ações da Ásia

Schroder Asian Total Return GBP A

ISIN LU0378801590
Rentabilidade 2014 15,2%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 9,8%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 1.000 euros
Comercialização Banco BPI
Melhores alternativas Schroder Asian Total Return USD A, Schroder Asian Equity Yield USD I, Schroder Asian Total Return USD B

O ano de 2014 acabou mal para Robin Parbrook e Lee King Fue, os gestores do Schroder Asian Total Return: na sua moeda original, o dólar norte-americano, o fundo teve prejuízos. Contudo, a rentabilidade ficou positiva para os investidores que têm as carteiras denominadas em euros.

Os gestores não veem bons sinais para 2015. Segundo o relatório do fundo do final do ano, a sociedade gestora Schroders acredita que haverá mais incumprimentos no mercado obrigacionista asiático e que há uma bolha no mercado bolsista chinês reservado a residentes. 

Fundo de ações do Brasil, da Rússia, da Índia e da China

UBAM Equity BRIC+ R

ISIN LU0306286328
Rentabilidade 2014 2,7%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 1,8%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 60 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Não tem

Desde 2001, quando os economistas do banco Goldman Sachs cunharam o acrónimo, que o sucesso dos fundos BRIC é elevado. Segundo as projeções, o Brasil, a Rússia, a Índia e a China serão as maiores economias do futuro. Em 2014, os resultados dos fundos BRIC desapontaram alguns investidores. O UBAM Equity BRIC+ R ficou abaixo da média da concorrência (4,5%). Apesar disso, tem o desempenho mais alto a cinco anos, apesar de ter o perfil de risco mais conservador.

No início de 2015, os gestores do fundo UBAM tinham quase um quarto da carteira aplicado em cada uma das nações. A China e a Índia recebiam ligeiramente mais capital. 

Fundo de ações da China

Neuberger Berman China Equity USD A

ISIN IE00B543WZ88
Rentabilidade 2014 27,7%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,2%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 1.000 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big, Banco Invest
Melhores alternativas Fidelity Greater China A USD, Fidelity Greater China E EUR

Os fundos de ações da China são tradicionalmente muito arriscados. Frank Yao e Lihui Tang, os gestores do Neuberger Berman China Equity USD A, não fogem do risco, mas conseguem retirar mais proveitos. Em 2014, por exemplo, o segundo fundo mais rentável ganhou 19,7%, longe dos 27,7% do fundo da Neuberger Berman.

Os gestores acreditam que a China continuará a crescer ao ritmo de 7% por ano nos próximos tempos. “A nosso ver, a combinação de reformas, baixas avaliações e resultados fortes torna as ações da China muito interessantes”, escreveu Frank Yao num relatório em dezembro passado. Os gestores distanciam-se dos índices de referência por estarem a apostar muito em telecomunicações e pouco no setor tecnológico. 

Fundo de ações de empresas mundiais de energia

Threadneedle Global Energy Equities DU

ISIN LU0143868825
Rentabilidade 2014 -2,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 2,7%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 414 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Axa WF Framlington Junior Energy E

A queda do preço do petróleo, que perdeu quase metade do valor em 2014, não poupou os fundos de ações de empresas energéticas. O Threadneedle Global Energy Equities DU foi o que mais resistiu. O gestor Jonathan Mogil refugia-se agora nas maiores petrolíferas integradas, como a Exxon Mobil, a Royal Dutch Shell, a BP e a Chevron. Dois terços da carteira estão aplicados nos Estados Unidos da América. 

Fundo de ações de empresas mundiais de imobiliário

Franklin Global Real Estate N USD

ISIN LU0229948756
Rentabilidade 2014 20,7%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 9,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 9 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas Fidelity Global Property E EUR

As empresas imobiliárias mundiais não estiveram particularmente saudáveis durante 2014, mas os fundos de ações do setor imobiliário que se concentraram no mercado norte-americano beneficiaram da alta do dólar norte-americano. Wilson Magee, o gestor do Franklin Global Real Estate N USD, é o que mais bem tem aproveitado os movimentos das empresas imobiliárias. No início de 2015, pouco mais de metade da carteira do fundo estava nos Estados Unidos da América. Japão, Hong Kong, Reino Unido e Austrália seguiam-se na lista dos principais destinos. 

Fundo de ações de empresas mundiais de saúde

JPMorgan Global Healthcare D USD

ISIN LU0432979960
Rentabilidade 2014 27,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 19,0%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 226 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Banco Big, Barclays
Melhores alternativas Não tem

O setor da saúde cresceu paulatinamente na bolsa durante os últimos cinco anos. Entre a dúzia de fundos de ações de empresas mundiais de saúde, nenhum conseguiu combinar tão bem o retorno com a volatilidade implícita a esta indústria. O trio de gestores – Anne Marden, Matthew Cohen e Premal Pajwani – levaram o JPMorgan Global Healthcare D USD a render 19% por ano no último quinquénio. Na última década, o ganho anual foi de 8,8%. Quase dois terços da carteira do fundo estão na América do norte. 

Fundo de ações de empresas mundiais de tecnologia

Henderson Horizon Global Technology A2 USD

ISIN LU0070992663
Rentabilidade 2014 18,7%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 11,0%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 2.067 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas Henderson Horizon Global Technology A1 USD

Stuart O’Gorman, o responsável pelo Henderson Horizon Global Technology, investe a nível global em empresas tecnológicas. Contudo, a carteira do fundo não traz surpresas: em dezembro passado, 74% dos ativos eram dos Estados Unidos, liderados pela Apple, Google, Microsoft, Oracle e Facebook. Todavia, a análise ao histórico do fundo revela menos volatilidade do que a generalidade dos fundos tecnológicos, apesar de os rendimentos estarem a par da concorrência. 

Fundo de ações de empresas mundiais do meio ambiente e do clima

Vontobel Clean Technology B EUR

ISIN LU0384405600
Rentabilidade 2014 12,2%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 7,5%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 232 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Parvest Global Environment Classic EUR

Pascal Dudle, o gestor do Vontobel Clean Technology B EUR, investe em “sociedades que oferecem soluções tecnológicas e inovadoras para mitigar as alterações climáticas e reduzir a poluição do ar e da água”. Por ter quase metade da carteira nos Estados Unidos da América, os resultados têm sido ajudados pelo movimento do dólar contra o euro. No entanto, o gestor pode investir em todo o mundo. No final de dezembro passado, as ações da Zhuzhou CSR Times Electric eram a principal aposta. A firma da província chinesa de Hunan fabrica sistemas elétricos de propulsão de locomotivas. 

Fundo de ações de empresas mundiais socialmente responsáveis

Pictet Security P EUR

ISIN LU0270904781
Rentabilidade 2014 15,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 11,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 147 euros
Comercialização Deutsche Bank
Melhores alternativas Não tem

Na análise risco-retorno a cinco anos, o Pictet Security P EUR não tem rival. Yves Kramer e Frédéric Dupraz, os responsáveis pelo fundo de origem suíça, investem em “ações de empresas que contribuem para a garantia da integridade, do bem-estar e da liberdade das pessoas, das empresas e dos governos”. No topo das participações do Pictet Security encontram-se os nomes da Fiserv, que apoia o sistema financeiro a fazer transações mais rápidas e seguras, a Fidelity National, a maior seguradora residencial dos Estados Unidos da América, e a Autoliv, uma empresa sueco-americana que desenvolve sistemas de segurança para a indústria automóvel. 

Fundo de ações da Europa

BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR

ISIN LU0418790928
Rentabilidade 2014 14,0%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 12,9%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 1.000 euros
Comercialização Banco Invest
Melhores alternativas Threadneedle European Select Retail Net EUR, MFS Meridian European Value A1EUR, UBS Equity European Opportunity Unconstrained (EUR) P

Este fundo procura esticar a rentabilidade que se consegue obter investindo em ações da Europa através de estratégias com produtos derivados. Tem funcionado: por cada um dos últimos cinco anos, o BlackRock European Opportunities Extension E2 EUR rendeu 12,9%, enquanto o segundo mais rentável deu 10,8%.

A BlackRock, a sociedade gestora, avisa que as subscrições deste fundo estão agora suspensas, porque já atingiu um montante elevado, cerca de 660 milhões de euros. A alternativa mais interessante é o Threadneedle European Select Retail Net EUR, disponível no Banco Best e no Banco Big. 

Fundo de ações da Europa emergente

Jupiter New Europe L GBP

ISIN LU0300038451
Rentabilidade 2014 -23,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 13,4%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 1.288 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Não tem

A crise na Ucrânia e a queda do petróleo e do rublo russo minaram o desempenho dos fundos mais voltados para o leste da Europa. O Jupiter New Europe L GBP foi dos que mais perdeu em 2014. O facto de poder investir um pouco além da Europa, nos países asiáticos que formavam a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, prejudicou-o. Porém, numa análise mais longa, a gestão de Colin Croft é largamente superior.

Colin Croft, que, embora britânico, fala fluentemente russo, coloca os maiores investimentos na Rússia. Lukoil, Magnit, Gazprom, Sberbank, Norilsk Nickel e Novatek estão entre as maiores apostas. 

Fundo de ações da Índia

Goldman Sachs India Equity Portfolio Base

ISIN LU0333810009
Rentabilidade 2014 47,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 9,3%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 4.133 euros
Comercialização Banco BPI
Melhores alternativas Goldman Sachs India Equity Portfolio A

A equipa indiana da Goldman Sachs é claramente a melhor a gerir fundos de ações da Índia. O Goldman Sachs India Equity Portfolio Base (nas versões de acumulação e de distribuição de dividendos) e o Goldman Sachs India Equity Portfolio A batem os concorrentes nos principais prazos de investimento.

Embora as três principais ações na carteira sejam de empresas tecnológicas (Infosys, HCL Technologies e Tata Consultancy Services), o setor financeiro é o mais relevante na carteira do fundo. Em dezembro de 2014, absorvia 24,3% dos ativos. 

Fundo de ações do Japão

Schroder Japanese Opportunities A

ISIN LU0270818197
Rentabilidade 2014 11,4%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 9,1%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 1.000 euros
Comercialização Banco BPI
Melhores alternativas Schroder Japanese Opportunities USD A, Invesco Japanese Equity Advantage R

O facto de os gestores do Schroder Japanese Opportunities (nas versões de acumulação e de distribuição de dividendos) não se colarem à composição dos principais índices acionistas japoneses pode explicar por que este fundo conseguiu um sobredesempenho claro face à concorrência nos últimos três anos. A política de investimentos do fundo revela que os responsáveis podem investir em quase todas as empresas, independentemente da sua dimensão. No início de 2015, as pequenas empresas povoavam a maior parte da carteira. A Toyota Motor, a maior empresa japonesa, não estava entre as dez maiores participações do fundo, por exemplo. 

Fundo de ações de mercados emergentes

Vontobel Emerging Markets Equity C USD

ISIN LU0137006218
Rentabilidade 2014 13,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 7,9%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 156 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas Fidelity Emerging Markets A USD, Fidelity Emerging Markets E EUR

A categoria de fundos de ações de mercados emergentes é bastante homogénea, mas isso não impede o Vontobel Emerging Markets Equity C USD de se distinguir. O gestor Rajiv Jain, que trabalha a partir de Nova Iorque, nos Estados Unidos da América, escolhe empresas por todo o mundo expostas aos países emergentes. Jain pode inclusivamente escolher firmas cuja sede está em nações desenvolvidas, mas que tenham uma grande proporção da faturação efetuada nos mercados emergentes. É o caso da sua maior aposta: a British American Tobbaco tem sede em Londres, no Reino Unido, mas mais de metade do volume de negócios tem origem longe da Europa e da América do Norte.

Fundo de ações do mundo

Goldman Sachs GMS Dynamic World Equity Portfolio Base

ISIN LU0308372076
Rentabilidade 2014 13,4%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 11,9%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 20.665 euros
Comercialização Banco BPI
Melhores alternativas Invesco Global Equity Income R, Vontobel Global Equity C USD, Invesco Global Structured Equity E

A equipa da gestão de ativos do banco Goldman Sachs tem conseguido ficar sempre nas primeiras posições das rentabilidades, apesar de a categoria de fundos de ações mundiais reunir 244 produtos. No início de dezembro de 2014, mais de metade da carteira deste fundo (nas versões de acumulação e de distribuição de dividendos) estava aplicada nas bolsas norte-americanas. As preferências geográficas eram completadas com investimentos no Reino Unido e na zona euro. Ao nível setorial, cerca de 30% dos ativos eram ações do setor financeiro, seguido pela aposta no setor tecnológico, com 18%. 

Fundo de ações do Pacífico

Fidelity Pacific A USD

ISIN LU0049112450
Rentabilidade 2014 11,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 10,3%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 24 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Deutsche Bank
Melhores alternativas Fidelity Pacific A EUR

Dale Nicholls, o gestor nomeado pela Fidelity para liderar a gestão deste fundo, escolhe ações em todos os países banhados pelo oceano Pacífico. No topo dos maiores investimentos, estão os títulos da financeira japonesa Orix e da Bitauto, que gere portais automóveis na China. Segundo as últimas informações, 42% da carteira está aplicada em mercados emergentes. 

Fundo de ações de PME da América do norte

Schroder US Small & Mid-Cap Equity USD C

ISIN LU0205193807
Rentabilidade 2014 19,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 12,5%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 212 euros
Comercialização Deutsche Bank
Melhores alternativas Parvest Equity USA Small Cap Classic USD

Ao nível de rendibilidades, a categoria de fundos de ações de pequenas e médias empresas da América do norte é muito homogénea. No entanto, o Schroder US Small & Mid-Cap Equity USD C é o segundo menos volátil. Regra geral, os fundos desta categoria inserem-se no grupo seis de risco, numa escala que vai até sete. Este fundo está no nível cinco. Há apenas dois fundos de ações de pequenas e médias empresas da América do norte menos voláteis: o Schroder US Small & MidCap Equity EUR Hedged A e o Schroder US Small & Mid-Cap Equity EUR Hedged B. São basicamente o mesmo fundo, mas com cobertura cambial. 

Fundo de ações de PME da Europa

MFS Meridian European Smaller Companies A1EUR

ISIN LU0125944966
Rentabilidade 2014 9,8%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 13,3%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 43 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas MFS Meridian European Smaller Companies A1USD

A sociedade gestora MFS é claramente superior na administração de fundos de ações de pequenas e médias empresas da Europa. Os fundos MFS Meridian European Smaller Companies A1EUR e MFS Meridian European Smaller Companies A1USD distanciam-se da maioria da concorrência na rentabilidade, mas o grande trunfo de Peter Fruzzetti, o responsável pelos produtos, é a menor volatilidade das carteiras selecionadas. No início de 2015, alguns nomes de empresas menos conhecidas lideravam a carteira: a distribuidora britânica Bunzl, a fabricante alemã de aromas e sabores Symrise e a segunda operadora de transportes do Reino Unido, a Stagecoach. 

Fundo de ações de PME da zona euro

BNY Mellon Small Cap Euroland A EUR

ISIN IE0003867441
Rentabilidade 2014 3,7%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,9%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 500 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas HSBC Euroland Equity Smaller Companies EC

A BNY Mellon, a sociedade gestora deste fundo, delega a condução das decisões de investimento na subsidiária Boston Company Asset Management. Os resultados são positivos: na última década, o BNY Mellon Small Cap Euroland A EUR rendeu 6,1% por ano. Atualmente, os gestores preferem o setor financeiro e, geograficamente, a França, a Alemanha e a Itália. A Ströer Media, uma empresa alemã de publicidade de rua e na Internet, é a maior aposta. 

Fundo de ações de PME do Japão

Henderson Horizon Japanese Smaller Companies A2 USD

ISIN LU0011890265
Rentabilidade 2014 13,3%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 11,7%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 2.067 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas Parvest Equity Japan Small Cap N JPY

Yun-Young Lee, o gestor do Henderson Horizon Japanese Smaller Companies A2 USD, tenta aproveitar as ineficiências de mercado aplicando modelos de identificação de ações que estejam mal avaliadas nas bolsas japonesas por serem demasiado pequenas. Lee apenas pode escolher as empresas que estão entre as 25% mais pequenas do Japão. A Leopalace21, um portal que serve de intermediário no arrendamento de apartamentos a estrangeiros no Japão, é a maior aposta. 

Fundo de ações de PME do mundo

Goldman Sachs Global Small Cap Core Equity Portfolio Base Close

ISIN LU0245329841
Rentabilidade 2014 10,9%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 13,0%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 4.133 euros
Comercialização Banco BPI
Melhores alternativas Goldman Sachs Global Small Cap Core Equity Portfolio E Snap

Os responsáveis pelo Goldman Sachs Global Small Cap Core Equity Portfolio usam um modelo que estima a rentabilidade futura das ações para encontrar pequenas e médias empresas em todo o mundo. Nos últimos cinco anos, o fundo rendeu 13% por cada ano, mais do que qualquer outro fundo nesta categoria. No início de 2015, no topo das 417 ações escolhidas para a carteira estavam os títulos da britânica Alkermes, uma companhia biotecnológica, a Alaska Air, a principal companhia de aviação para o Alasca, na América do norte, e a Brocade Communications Systems, a tecnológica norte-americana especializada em armazenamento e comunicação de dados. 

Fundo de ações do Reino Unido

Schroder UK Opportunities USD A

ISIN LU0995123774
Rentabilidade 2014 -2,4%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 12,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 6
Investimento mínimo 1.000 euros
Comercialização Banco BPI
Melhores alternativas Schroder UK Opportunities EUR A, Schroder UK Opportunities A

Quem quer investir no Reino Unido deve selecionar um fundo gerido pela Schroders, desde que seja da classe A. Se não tiver acesso a um destes produtos, pode optar pelo Threadneedle UK Extended Alpha Retail Net GBP ou por outro fundo da Schroders de outra classe (por exemplo, o Schroder UK Equity GBP B).

O Schroder UK Opportunities USD A, que rendeu 6,6% por ano na última década, investe maioritariamente em grandes empresas britânicas, com valores de mercado superiores a três mil milhões de libras (cerca de quatro mil milhões de euros). Destacam-se as ações da BP, da GlaxoSmithKline e da AstraZeneca. 

Fundo de ações da zona euro

Allianz Euroland Equity Growth CT EUR

ISIN LU0256840793
Rentabilidade 2014 4,3%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,7%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 160 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big, Banco Invest
Melhores alternativas Não tem

O Allianz Euroland Equity Growth CT EUR não tem rival à altura. Além de ter sido o mais rentável nos últimos cinco anos, é também o fundo de ações da zona euro menos volátil. No último ano, apenas foi batido pelo Schroder Euro Equity na versão com cobertura cambial para dólares norte-americanos.

Matthias Born e Thorsten Winkelmann, os gestores do fundo da Allianz, estão concentrados no desempenho da Alemanha. Cerca de 40% da carteira está aplicada em empresas dessa nação, segundo os últimos dados compilados pela Bloomberg. 
Fundo mistos predominantemente de ações

UBS SF Growth (USD) P

ISIN LU0033040865
Rentabilidade 2014 14,8%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 7,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 2.639 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Banco Invest
Melhores alternativas Não tem

A equipa da UBS investe simultaneamente em ações e obrigações de todo o mundo, mas dá preferência aos mercados acionistas. No final de dezembro de 2014, 68,5% da carteira estava nestes títulos, liderados pelas ações da Apple, da Microsoft e da Google. Nas obrigações, as principais apostas eram títulos de dívida pública dos Estados Unidos da América e da Alemanha. 

Fundo mistos neutros

MFS Meridian Global Total Return A1EUR

ISIN LU0219418836
Rentabilidade 2014 11,8%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 7,7%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 17 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas MFS Meridian Global Total Return A1USD

É surpreendente um fundo que investe historicamente 60% da carteira em ações e 40% em obrigações ganhar mais de 7% por ano em meia década. Foi isso que fez o MFS Meridian Global Total Return, tanto na versão A1 em euros como em dólares norte-americanos. Os nove gestores deste fundo, que combinam 192 anos de experiência nos mercados, destacam agora as ações das empresas de saúde Novartis, Pfizer e Johnson & Johnson e a dívida pública emitida pelo Japão, pela Itália e pela Austrália. 

Fundos mistos predominantemente de obrigações

UBS SF Yield (USD) P

ISIN LU0033043885
Rentabilidade 2014 14,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 5,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 2.480 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Banco Invest
Melhores alternativas UBS SF Yield (CHF) P

Ao contrário do UBS SF Growth (USD) P, recomendado em cima, este fundo misto dá preferência às obrigações e não às ações. A porção da carteira aplicada em títulos obrigacionistas, que representa 67,1% do total, é liderada por dívida pública dos Estados Unidos da América e da Alemanha, embora também se encontrem emissões do governo canadiano nas principais escolhas. Nas ações, Apple, Microsoft e Wells Fargo estão à frente nas compras. 

Fundo de poupança-reforma

Espírito Santo PPR

ISIN PTYESALM0007
Rentabilidade 2014 8,4%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,5%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 250 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Banco Invest, Novo Banco
Melhores alternativas Alves Ribeiro PPR

Os planos de poupança-reforma podem não ser a escolha mais inteligente para o seu dinheiro, mas, se tiver de optar por um PPR, eleja o Espírito Santo PPR. Apesar de o gestor, David Dias, estar limitado a investir 25% da carteira em ações, este produto rendeu 7% por ano desde que foi lançado em novembro de 1991. Os resultados mais recentes são superiores, embora David Dias tenha indicado que a dívida pública grega penalizou o desempenho em dezembro. A dívida pública da Itália, da Grécia e da Finlândia lideravam as opções do gestor no início do ano. 

Fundo de obrigações de alto rendimento da Europa

Pioneer Euro High Yield A EUR

ISIN LU0281579598
Rentabilidade 2014 1,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 6,8%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 3
Investimento mínimo 500 euros
Comercialização Banco Big
Melhores alternativas F&C European High Yield Bond A EUR

Em dezembro passado, Colm D’Rosario, o gestor do Pioneer Euro High Yield A EUR, já esperava que Mario Draghi disparasse a sua “bazuca”, o que veio a acontecer no passado dia 22 de janeiro. O responsável diz que se manterá cauteloso em 2015, mas acredita que os movimentos nas taxas de juro podem destapar “algumas oportunidades interessantes de compra”. 

Fundo de obrigações de alto rendimento do mundo

BlackRock Global High Yield Bond E2 USD

ISIN LU0171285157
Rentabilidade 2014 11,0%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,4%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 83 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big, Banco BPI, Banco Invest, Barclays
Melhores alternativas Pimco Global High Yield Bond E, Pimco High Yield Bond E

Não há limites geográficos para o fundo BlackRock Global High Yield Bond E2 USD. Os três gestores – James Keenan, Alex Shingler e Michael Phelps – compram obrigações por todo o mundo desde que ofereçam rendimentos superiores em troca de mais risco. Atualmente, os responsáveis apreciam particularmente os títulos de dívida de empresas industriais dos Estados Unidos da América com maturidades entre três e dez anos. O maior investimento é numa obrigação do Amaya Gaming Group, uma sociedade canadiana que gere negócios de apostas, como o PokerStars e o European Poker Tour. 

Fundo de obrigações de alto rendimento dos EUA

Credit Suisse BF High Yield US$ B

ISIN LU0116737759
Rentabilidade 2014 10,2%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,0%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 209 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best
Melhores alternativas Fidelity US High Yield A EUR

A subida do dólar norte-americano deu uma ajuda a Thomas Flannery, o gestor do Credit Suisse BF High Yield US$ B. Rendeu 10,2% em 2014. Este fundo investe em obrigações de alto rendimento em dólares, mas, na prática, mais de 80% da carteira é de emitentes norte-americanos. No final do ano passado, o responsável decidiu reduzir o prazo médio das obrigações detidas. Agora, mais de 80% dos títulos vencem-se no prazo de três anos. 

Fundo de obrigações da Ásia

ING (L) Renta Asian Debt (Hard Currency) X Cap USD

ISIN LU0546914242
Rentabilidade 2014 15,8%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 7,8%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 1.357 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas Não tem

Investir num fundo de obrigações asiáticas tem tanto risco como aplicar o dinheiro num fundo de obrigações globais de alto rendimento. Os gestores do ING (L) Renta Asian Debt (Hard Currency) X Cap USD estão praticamente limitados aos emitentes da China, da Coreia do Sul, das Filipinas, de Hong Kong, da Índia, da Indonésia, da Malásia, de Singapura, da Tailândia e de Taiwan. No entanto, apenas compram títulos cotados em dólares norte-americanos. 

Fundo de obrigações convertíveis do mundo

Schroder Global Convertible Bond USD B

ISIN LU0351442776
Rentabilidade 2014 12,9%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 6,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 5
Investimento mínimo 414 euros
Comercialização Banco Best, Banco BPI, Banco Invest, Barclays
Melhores alternativas Não tem 

Como as obrigações convertíveis se transformam, por definição, em ações, o risco de investir num fundo desta categoria é superior à generalidade dos fundos de obrigações. Todavia, o retorno também pode ser superior. Em 2014, por exemplo, o Schroder Global Convertible Bond USD B rendeu 12,9%. No início de 2015, os gestores da Schroders tinham um terço da carteira aplicada em emissões do setor tecnológico. Também cerca de um terço dos ativos eram de emitentes dos Estados Unidos da América. 

Fundo de obrigações de curto prazo em euros

Millennium Rendimento Mensal

ISIN PTYAFHLM0009
Rentabilidade 2014 2,8%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 4,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 2
Investimento mínimo 500 euros
Comercialização ActivoBank, Millennium bcp
Melhores alternativas Espírito Santo Capitalização

Se quiser investir com um risco baixo em obrigações em euros para receber rendimentos periódicos, subscreva o Millennium Rendimento Mensal. Este fundo, disponível no ActivoBank, além do Millennium bcp, distribui dividendos mensalmente. Se não está interessado em receber dividendos e quer os ganhos capitalizados, opte pelo Espírito Santo Capitalização, disponível no Banco Best, no Banco Invest e Novo Banco. O fundo do Millennium bcp Gestão de Activos cobra uma comissão de resgate até 1% do valor aplicado para quem peça o reembolso antes de seis meses após a subscrição. 

Fundo de obrigações dos EUA

JPMorgan US Bond D USD

ISIN LU0115104423
Rentabilidade 2014 14,5%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 7,6%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 130 euros
Comercialização ActivoBank, Banco Best, Banco Big, Barclays
Melhores alternativas Não tem

Steven Lear, o gestor do JPMorgan US Bond D USD, teve um desempenho reduzido em 2014 investindo em dívida norte-americana. Porém, quando os investidores portugueses registam os ganhos em euros, o retorno salta para 14,5% graças à evolução do dólar norte-americano. Foi o segundo melhor registo nesta categoria de fundos, a seguir ao Nordea 1 US Total Return Bond E USD com 14,7%. A dívida pública estado-unidense é o maior ativo do fundo. 

Fundo de obrigações da Europa

Espírito Santo Euro Bond R

ISIN LU0062574610
Rentabilidade 2014 8,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 9,2%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 1.897 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Espírito Santo Obrigações Europa

Embora seja um fundo luxemburguês, o Espírito Santo Euro Bond R é gerido em Portugal por Vasco Teles, da GNB Gestão de Ativos, a sociedade gestora pertencente ao Novo Banco. Embora tenha um perfil de risco ligeiramente superior à média da concorrência, a rentabilidade de longo prazo é também superior. Na última década, rendeu 5,9% por ano. Três emissões governamentais finlandesas, italianas e holandesas absorviam mais de metade da carteira no início de 2015. 

Fundo de obrigações de mercados emergentes

Candriam Bonds Emerging Markets N

ISIN LU0144751251
Rentabilidade 2014 14,4%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,0%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 1.559 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Goldman Sachs Global Emerging Markets Debt Portfolio Base (acumulação e distribuição), Pioneer Emerging Markets Bond C EUR, Pioneer Emerging Markets Bond C USD

Os gestores do Candriam Bonds Emerging Markets N podem investir em obrigações dos mercados emergentes, incluindo dívida pública e dívida privada, em todas as divisas. No entanto, atualmente a carteira está concentrada em dívida pública de países emergentes cotada em dólares norte-americanos. É, por isso, que o fundo conseguiu um desempenho de 14,4% em 2014. Na última década, o retorno foi de 6% por ano. No início do ano, Croácia, Filipinas, Uruguai, Indonésia, Polónia, Peru, Uruguai, Panamá, Geórgia e Turquia eram os destinos preferidos para o dinheiro dos investidores deste fundo. 

Fundo de obrigações do mundo em dólares

ING (L) Renta US Credit X Cap USD

ISIN LU0546920561
Rentabilidade 2014 16,1%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 8,4%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 980 euros
Comercialização Banco Best, Banco Big
Melhores alternativas Templeton Global Total Return N USD, Amundi Bond Global Aggregate SU, Pimco Diversified Income E

Embora os gestores do ING (L) Renta US Credit X Cap USD possam investir em obrigações de todo o mundo, o foco dos gestores tem sido as empresas dos Estados Unidos da América. Além disso, desviando-se um pouco da sua missão, os maiores investimentos não têm sido em obrigações de empresas: os gestores têm adquirido títulos de dívida do governo estado-unidense. Isto tem permitido alcançar uma volatilidade inferior, mas mantendo o retorno anual perto dos melhores da categoria de fundos de obrigações do mundo em dólares. 

Fundo de obrigações do mundo em euros

Espírito Santo Rendimento Plus

ISIN PTYEVHHM0001
Rentabilidade 2014 7,2%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 9,8%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 3
Investimento mínimo 2.500 euros
Comercialização Banco Best, Banco Invest, Novo Banco
Melhores alternativas Espirito Santo Opportunity R, Espírito Santo Global Bond R, Templeton Global Total Return N EUR

Mesmo sem apoio da valorização do dólar norte-americano, como o fundo anterior, o Espírito Santo Rendimento Plus tem conseguido rentabilidades elevadas. Em 2014, os investidores ganharam 7,2%, mesmo assim abaixo do retorno anual de 9,8% dos últimos cinco anos. João Zorro, o diretor da GNB Gestão de Ativos responsável pelo segmento de obrigações, está pouco limitado na seleção de títulos de dívida para a carteira. No final de dezembro de 2014, cerca de 40% da carteira era composto por dívida pública, em particular italiana, holandesa e grega. Nesse mês, a dívida grega foi o principal fator negativo, o que levou João Zorro a reduzir a participação de 10% para 4%. 

ft01

Vontobel US Dollar Money B USD

ISIN LU0120690226
Rentabilidade 2014 10,3%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 2,7%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 4
Investimento mínimo 107 euros
Comercialização Banco Best
Melhores alternativas Amundi Cash USD FU

As taxas de juro do mercado monetário estão perto de zero, por isso é natural que os fundos de tesouraria em dólares tenham ganho, tal como o Vontobel US Dollar Money B USD, 0,2% em 2014. Porém, graças ao movimento positivo do dólar norte-americano face ao euro, o retorno para os investidores na zona euro subiu para 10,3%. O fundo da Vontobel surpreende pela rentabilidade marginalmente superior à concorrência, complementada pela volatilidade marginalmente inferior. 

Fundo de tesouraria em euros

Banif Euro Tesouraria

ISIN PTYBNILM0007
Rentabilidade 2014 1,6%
Rentabilidade anualizada 2010-2014 2,9%
Risco (1 = baixo, 7 = elevado) 2
Investimento mínimo 50 euros
Comercialização Banif
Melhores alternativas Não tem

No último ano, o Banif Euro Tesouraria não foi o melhor fundo de tesouraria em euros. O melhor foi o Patris Tesouraria, que ganhou 3,6%. Porém, quando se analisam os prazos mais longos, o fundo do Banif lidera. Nos últimos cinco anos, ganhou 2,9% por ano, longe dos 2,4% do segundo melhor. Na última década, o Banif Euro Tesouraria rendeu 2,4% por ano, acima dos 2,2% do segundo melhor. O nível de risco não é dos mais baixos na categoria de fundos de tesouraria em euros, mas está muito longe do risco do Patris Tesouraria, que se insere no terceiro nível de risco, numa escala que vai até sete. 

Como o Observador escolheu os melhores fundos

Para eleger os melhores fundos, usámos o rácio de Sortino. É uma medida de rentabilidade ajustada pelo risco, considerando, no entanto, apenas o risco de perda. Os cálculos apoiam-se nas rentabilidades mensais acima da Euribor a três meses e na volatilidade dos prejuízos mensais de 2010 a 2014.

Foram analisados todos os fundos abertos registados em Portugal comercializados pelos bancos junto dos seus clientes de retalho e pelos CTT. Não foram incluídas sociedades corretoras, sociedades gestoras de fundos e de patrimónios e bancos de investimento entre as entidades comercializadoras, exceto quando são as únicas entidades comercializadoras.

O ISIN (International Securities Identification Number) é um código de identificação único de instrumentos financeiros. É composto por 12 caracteres alfanúmericos. Se quiser falar com o seu intermediário financeiro sobre um destes fundos, é este código que deve indicar.

As rentabilidades em euros foram anualizadas e são líquidas de impostos e de comissões de gestão e de depósito, exceto nos fundos de poupança-reforma. Assumiu-se uma tributação de 28% sobre a rentabilidade total nos fundos estrangeiros. A classe de risco é aferida pela volatilidade (desvio-padrão) das rentabilidades semanais de 104 semanas. Varia entre um (risco baixo) e sete (risco elevado), de acordo com o artigo 73.º do Regulamento da CMVM n.º 5/2013.

Na ausência de um investimento mínimo exigido pelas entidades comercializadoras, ou quando o investimento mínimo é de uma unidade de conta, é apresentado o valor de uma unidade de participação, convertido em euros e arredondado por excesso. O valor apresentado é o menor entre todas as entidades comercializadoras.

Elegemos os melhores fundos apenas nas 41 categorias em que encontrámos pelo menos dez fundos com políticas de investimento homogéneas e com mais de cinco anos.

Toda a informação foi atualizada a 31 de dezembro de 2014. As fontes de informação usadas foram a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios, a Bloomberg, a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Morningstar, as sociedades gestoras e as entidades comercializadoras. 

David Almas é analista financeiro independente registado na CMVM com o número oito. O autor trabalha subordinado ao Código Deontológico dos Jornalistas.